Higienização das mãos é o primeiro tema abordado no projeto Alimentar-te

O primeiro encontro do projeto Alimentar-te aconteceu no dia 3 de abril, com os alunos do 1º e 2º período. A temática trabalhada foi à importância da higienização das mãos. O objetivo de iniciar com este assunto corresponde à necessidade das crianças aprenderem o porquê devem lavar as mãos antes de manipular os alimentos e as implicações disso.

Para facilitar o entendimento das crianças frente à necessidade de lavar as mãos, as professoras pintaram as mãos dos estudantes e depois os fizeram lavar. Essa dinâmica demonstrou que não adianta apenas passar uma água nas mãos, e sim esfregar com sabão da forma correta para que todas as impurezas sejam eliminadas.

Todas as fotos da atividade se encontram no nosso Flickr:

WhatsApp Image 2019-04-03 at 19.49.59

A noite mais divertida do ano!

Mais uma vez o Projeto “De Mala e Cuia na Escola” surpreendeu os alunos do Ensino Fundamental I. Na noite do dia 12 para 13 de abril, os estudantes passaram a noite no colégio e participaram de diversas atividades como circo show, discoteca e caça ao tesouro. Segundo a Coordenadora Pedagógica Kenia Werneck, o projeto objetiva desenvolver novas habilidades sociais, promover a interação dos alunos e, de certa forma, a autonomia por estarem longe dos pais.

Na manhã do sábado, os pais tiveram uma surpresa ao chegar à escola para  buscar os filhos. As crianças estavam na quadra e prepararam, junto com os professores, uma apresentação de encerramento, cantando a música “A Paz”, do grupo Roupa Nova, e coreografaram com as mãos.

Todas as fotos do evento estão na página do nosso Flickr:

WhatsApp Video 2019-04-15 at 09.48.48

O Bullying Existe

Esta semana é considerada a semana nacional de combate ao bullying, já que o dia 07 de abril é o Dia Nacional de Combate à Agressão Sistematizada, conhecida como o Bullying. O termo surgiu na década de 80, nos Estados Unidos e tem origem na palavra bully=valentão. Até pouco tempo atrás, na nossa época de estudante, situações como a do Bullying eram denominadas ora agressão, ora “zoação”, o que demonstra que o termo é novo, mas a situação de agressão é velha. Além disso, é importante deixar claro que todo Bullying é agressão, mas nem toda agressão é Bullying.

Em virtude de vários casos e más consequências, no ano de 2016, uma Lei foi aprovada, no intuito de obrigar as escolas a lidarem de maneira mais efetiva com a situação, por isso atualmente o problema vem sendo discutido com mais leveza pela comunidade escolar e pelas famílias. É inegável o quanto ficou difícil combater o bullying em uma estrutura socioeconômica como a nossa, na qual há o encorajamento da disfunção de valores. Isso acontece porque muitas vezes a escola é responsabilizada sozinha por todos os casos, mas vale lembrar que alguns começam dentro do contexto escolar, e são sanados. Outros começam fora do contexto escolar, e assiduamente veem para a escola, só que nós geralmente não estamos sabendo o que aconteceu lá fora.

Apesar de muitos acreditarem que o Bullying no contexto escolar é uma vertente da indisciplina, isso é uma ideia totalmente equivocada, uma vez que comprovadamente o bullying acontece em 100% das escolas do mundo, independente se são públicas ou particulares. E sabe por quê? É na escola que o educando convive com a maior diversidade cultural, assim a intolerância com o diferente e os valores sociais invertidos resultam na prática da agressão sistematizada.

Outro fator de grande relevância a ser pensado é o fato de a escola ser apenas um dos contextos que preenche a corpo social da criança e do adolescente. Podemos citar, por exemplo, algumas práticas que corroboram com a violência que vem de fora para dentro, são muito comuns e acabam se tornando naturais, como por exemplo a exclusão deste ou daquele coleguinha nos momentos de lazer, ou mesmo a fala dos pais para que os filhos se afastem de um colega porque ele não é visto como uma boa companhia. Afinal, o exemplo é o melhor aprendizado, e os nossos filhos aprendem com o que damos a eles de exemplo.  Pensem nas crianças que vão ser excluídas! Parece banal e inofensivo à primeira vista, contudo é uma atitude que ensina nossos filhos a excluírem os outros, seja lá por qual pretexto ou motivo. Alguns pais podem pensar que estou sendo exagerada, que é só uma questão de afinidade. Mas, não!

Para esclarecer, existem tipos de bullying diferentes, entre eles, com avanço tecnológico, destaca-se o cyberbullying, por isso não podemos reconhecer apenas a violência física como bullying, e mais ainda, só conseguiremos debater e combater a prática violenta, se reconhecermos que ela existe. Sobretudo porque tanto as vítimas quanto os agressores precisam de ajuda.

Com o intuito de conhecermos um pouco mais sobre o problema, e criarmos estratégias de ação, assim como parcerias, sugiro a leitura da Lei, bem como das obras da pesquisadora brasileira, Cléo Fante, que estuda o fenômeno desde 2000.

Lei: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13185.htm

FANTE, C. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. Campinas: Verus editora, 2005.

FANTE, C. Bullying escolar. Campinas: Verus editora, 2005.

Alunos do 9º ano visitam o CCBB

A sensibilidade artística dos alunos do 9º ano foi aprimorada no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), no dia 1º de abril. O intuito central dessa visita foi despertar uma experiência cultural e pedagógica nos estudantes por meio do conhecimento das obras do renomado artista plástico chinês, Ai Weiwei.

Os alunos não ficaram apenas na observação. Foi proporcionado momentos de interação em grupo, para que o lado mais subjetivo e pessoal dos estudantes ficassem em evidencia e fosse compartilhado com os colegas, por meio da troca de sensações que cada um sentiu.

Todas as fotos da atividade estão no nosso Flickr:

WhatsApp Image 2019-04-05 at 17.25.36

Aprendizagem sensitiva no 4º ano

Os alunos do 4º ano fizeram uma visita técnica ao Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG, no dia 4 de abril. O principal objetivo dessa atividade externa foi aprimorar o conteúdo visto em sala de: “Fontes Históricas”, em Historia, “Paisagens modificadas”, em Geografia e “Ecossistema e Sentidos”, em Ciências.

Dessa forma, os alunos puderam aprender sobre a evolução da tecnologia desenvolvida pelo ser humano de maneira mais lúdica, no espaço Arqueologia e Paleontologia do Museu. Nesse mesmo ambiente os estudantes puderam conhecer fósseis de Titanossauro, Preguiças Gigantes e Gliptodonte, o que auxilia na visualização de conteúdos apreendidos em sala. E também tiveram uma experiência sensitiva por meio do Jardim de Plantas Medicinais, no qual eles puderam sentir o cheiro de plantas exóticas e experimentar plantas comestíveis de olhos vendados.

As fotos da atividade estão no nosso Flickr:

WhatsApp Image 2019-04-05 at 06.30.10

 

Time sub-14 feminino do ICJ dá show na Copa Minas Escolar

No dia 27 de março, o time sub-14 de handebol feminino do ICJ disputou o primeiro jogo na Copa Minas Escolar. As meninas venceram o Magnum Buritis, que jogava em casa, por um placar de 29 a 9. O jogo ocorreu às 20h e 30 min e a aluna Letícia Canesso foi eleita a melhor jogadora em campo.

Além das quadras, a atividade física coletiva é de suma importância para o desenvolvimento das crianças em relação as interações sociais com os amigos. Também é crucial para um crescimento saudável.

 

Sistema Solar em foco no 3º ano C

Os alunos do 3º ano C, do ensino fundamental, produziram seu próprio Sistema Solar. A atividade, coordenada pela professora Juliana Pessoa, foi interdisciplinar e uniu os conteúdos de Ciências, por meio do estudo do Universo, aos de Artes, com a criação das peças de cada aluno.

Os alunos ainda tiveram a oportunidade de exercitar a oralidade, com a apresentação do trabalho aos colegas – uma atividade que propicia a desinibição e articulação em público, características tão necessárias para a vida adulta.

A exposição da turma também recebeu a visita dos colegas das turmas 3º ano B, 4º ano B e C e do 5º ano, que foram prestigiar o resultado do trabalho.

Todas as fotos da atividade estão no nosso Flickr:

WhatsApp Image 2019-03-26 at 23.13.56

Aprendendo com o supermercado

Dos dias 18 a 22 de março, os alunos do 1º período (A e B) participaram de uma simulação de supermercado em sala. Pela supervisão da professora Maritsa, as crianças tiveram a oportunidade de manusear embalagens, e, logo em seguida, escolher e comprar um “produto”, com dinheiro de papel. Depois disso, eles participaram de uma oficina para construir brinquedos com os materiais recicláveis.

Para a regente, propostas como essas são muito importante para o imaginário dos alunos à medida que eles podem desenvolver sua identidade, representando papéis como o de consumidor e depois reciclando os materiais.

Confira todas as fotos no nosso Flickr:

WhatsApp Image 2019-03-22 at 12.46.15

ICJ faz homenagem para alunos destaque

No dia 21 de março aconteceu a tradicional entrega de certificados dos Alunos Destaque do Ensino Médio. A solenidade ocorreu em uma das quadras da escola, ás 7h e 30 min. Os estudantes homenageados deste ano foram:
1º ano/EM: Aline Couto, Giulianna Martins e Victor Lucas Durante
2º ano/EM: Júlia Mérice, Lucca Souza e Ana Clara Martins
3º ano/EM: Mariana Borelli, Alice Parreiras e Isadora Reis
Como o evento aconteceu em um momento de Hora Cívica, os jovens cantaram o hino nacional e algumas alunas do ensino médio realizaram uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher.
A estudante Ana Carolina Martins, do 9º ano, recitou um poema autoral intitulado “Respeita as minas rapaz”. Logo em seguida, Aline Couto, 1º ano , Sofia Albuquerque, 2º ano e a estagiária Thayná cantaram a música Fight Song de Rachel Platten e depois a canção Dona de Mim. Por fim, a estudante Izabela Garcia, do 1º ano executou um performance que recebeu o nome de “Mulher, diva”.
Confira todas as fotos da cerimônia no nosso Flickr:
IMG_8403