Palestra sobre saúde e beleza

No dia 16/08, alunos do 8º ano do Ensino Fundamental e 3º ano Ensino Médio assistiram a uma palestra da cirurgiã Natale Gontijo de Amorim, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, professora do Instituto Pitanguy e doutora em células-tronco humanas.

Natale mostrou para os jovens uma linha do tempo dos padrões de beleza em diferentes culturas pelo mundo. Segundo ela, a beleza sempre esteve atrelada ao poder, originando a ideia de que quem envelhece perde a sua beleza e, com isso, seu poder. Diante desse pensamento, ela conta o processo a partir do qual surgiram as “fórmulas mágicas” para manter a juventude.

A doutora abordou a importância da beleza, do “ser belo” na sociedade atual, mas salientou também que há um limite para tal valorização. Em forma de alerta, ela relatou os riscos de cirurgias plásticas, principalmente quando há um exagero de procedimentos estéticos – muitas vezes associado à dismorfia.

Com essa fala de conscientização, ela enfatizou que a decisão de fazer uma plástica deve ser bem pensada e que o procedimento precisa ser realizado por cirurgiões plásticos capacitados. Natale enalteceu o Brasil nesse quesito, em função da qualidade de seus profissionais: “é o país referência em cirurgia plástica”. Segundo ela, boa parte disso se dá pela qualidade do ensino no Brasil. Ela acrescenta: “estudar é para vida toda, temos que buscar evoluir sempre”. Para que isso seja possível, a doutora faz um apelo importante para que os jovens não votem em políticos que não fomentam a educação.

Durante a palestra, Natale também contou um pouco de seu projeto de pesquisa pioneiro, que envolve a reposição tecidual, restituição volumétrica e rejuvenescimento tecidual com células-tronco adipocitárias expandidas. Seu estudo gira em torno da descoberta de que a gordura extraída do corpo em procedimentos estéticos possui um grande número de células-tronco, com poder de se multiplicarem. “Seriam essas células capazes de reconstituir a pele?”, pensou. Decidida em aprofundar-se em tal questionamento, ela foi para Verona, na Itália, fazer um curso com pesquisador especialista na área, com o qual discutiu sua tese.

Juntos, reuniram um grupo de pesquisadores para desenvolver um estudo em profundidade e propuseram que fossem realizadas pesquisas simultâneas no Brasil para ampliação dos resultados. Concluiu-se que, ao transplantar células-tronco presentes na gordura para pele, tais células se regeneram. Isso porque há uma redução da flacidez, maior hidratação e viço à pele desgastada. Atualmente, esse estudo foi publicado e é reconhecido em todo o mundo. Natale e sua equipe já entraram com um requerimento junto aos órgãos competentes para aprovação de procedimentos que adotem a célula tronco presente na gordura como regeneradora de tecido e, com isso, ainda haverá muito a ser explorado e grandes avanços para serem alcançados!

Confira as fotos: https://flic.kr/s/aHsmhmUMXQ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *