Show de Talentos reconhece habilidades em alunos

Muitos talentos foram reconhecidos na última segunda-feira, dia 2, no Show de Talentos do Colégio ICJ. Com o objetivo de estimular as habilidades artísticas e criativas e visando a integração entre os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, o momento contou com cinco modalidades, entre elas dança, canto, desenho, fotografia e poesia.

Os ganhadores do 1º lugar de cada categoria foram: Mabel França, do 8º ano, na categoria Desenho; Arthur Leron, do 8º ano, na Fotografia; Marina Metzker e Laura Garcia, ambas do 8º ano, na Dança; Augusto Oliveira, do 1º ano EM, na Poesia e Bruna Rezende e Carolina Martins, do 6º e 7º ano, na categoria Música.

No final do Show de Talentos, já em ritmo de férias e comemorações, alguns alunos do 3º ano do Ensino Médio fizeram uma homenagem a toda a turma que está se formando e começando uma nova etapa da vida.

Acesse o link do Flickr para ver as fotos:

fcbcbd41-0f14-4266-a587-f1667679e49f

O maker e o protagonismo juvenil!

Que a Robótica entrou na nossa grade curricular pra ficar já é fato! A grande novidade, no 6º, 7º e 8º ano, é uma espécie de “TCC” que os estudantes tiveram que desenvolver para concluir a disciplina. Os alunos, em grupos, tiveram a opção de criar um protótipo físico ou um jogo digital, colocando em prática conceitos apreendidos durante o ano. O trabalho foi desenvolvido em sala, no horário de aula. Apenas na ultima semana os alunos puderam levar para a casa e fazer os ajustes finais.

Para Pablo, professor de Robótica, o objetivo principal foi estimular a criatividade dos alunos, juntamente com a capacidade de compreensão da aplicabilidade de conceitos tecnológicos. “Para tornar o trabalho mais estimulante para os alunos, além da minha avaliação, levei para a comissão avaliadora um estudante de Engenharia Civil (Gabriel Moraes), uma estudante de Controle e Automação (Jade), um estudante de Ciências da Computação (Guilherme Cosso) e a diretora pedagógica da escola (Aparecida Nicolai)”, conclui.

Entre os projetos, se destacam uma casa modelada e impressa na impressora 3D, uma mão robótica que movia os dedos com a utilização de uma bateria e ainda um aspirador de pó. Todos esses trabalhos foram desenvolvidos do zero.

Confira todas as fotos no nosso Flickr:

1dac244f-7d6e-4df4-9bf9-9ee75fad4374

Festival de Dança: A Disney é aqui!

O Festival de Dança do Colégio ICJ teve como tema, em 2019, a Disney. Depois de muitos dias de treino e esforço, as alunas puderam demonstrar todo o trabalho desenvolvido juntamente com os professores, além de sua evolução. O evento, que ocorreu no Teatro Fábrica de Artes no dia 28 de novembro, contou com 13 apresentações, todas voltadas ao mundo mágico da Disney.

A aluna Bruna Fernandes, do 7º ano, participou do Festival de dança e conta que todas envolveram-se em todo o processo, inclusive na montagem do palco, no dia da apresentação.  “Eu achei o festival muito legal, a preparação também foi muito legal, ficamos muitos dias ensaiando na escola. Tivemos várias danças, dancei jazz e dança do ventre”.

A programação do Evento contou com uma Abertura, do Corpo de Baile Infantil, Minnie, com o Baby Class, A Bela e a Fera, Ariel, Descendentes, Sininho, Arlequina, A Bruxinha Encantada, um grupo convidado, Jasmine e Alladin, Dança do Ventre e, por último, Branca de Neve, com os professores Jade, Maisa e Lucas.

Para ver as fotos do Festival de Dança, acesse o link:

ec344827-ccf1-4356-be90-35cfe90aa9db

Projeto de inculturação – Griots

Orgulho, força e luta! Esses e diversos outros adjetivos podem ser atribuídos à comemoração do dia da consciência negra. Apesar de ser celebrado no dia 20 de novembro, a culminância aconteceu nesse sábado, dia 23, pois foi realizado uma manhã de programação voltada para o tema.

A atividade teve inicio com a dança afro das alunas do 6º ano. Depois, algumas alunas do 1º ano fizeram uma performance demonstrando o impacto da exclusão. Por fim, os estudantes ficaram livres para participarem das oficinas que mais tivessem interesse. Eles podiam escolher: oficina de turbantes, com a convidada Catarina, oficina de bonecas, capoeira, assistir um curta e participar de uma roda de conversa e se envolver na exposição de painéis temáticos. Além disso, a livraria Mazza marcou presença na escola e vendeu livros sobre a questão racial em diversos âmbitos.

O nome do evento foi intitulado Griots, pois representa os guardiões da palavra, responsáveis por transmitir os mitos, as técnicas e as tradições africanas de geração para geração.

Confira todas as fotos no nosso Flickr:

20191123_084425

Projeto Transição em ação

 

Os alunos do 5º ano participaram, no dia 18 de novembro, do Projeto Transição, que visa desenvolver com os alunos uma integração, para que se preparem para uma nova etapa da vida escolar. Em 2020, farão parte do Ensino Fundamental II, que conta com um novo formato.

É importante que os estudantes tenham este momento, para que entendam e se sintam incentivados em todas as etapas de seu desenvolvimento, tornando-se protagonistas de sua história escolar.

Para ver as fotos de tudo o que aconteceu, acesse nosso Flickr:

Capturar3

Precisamos falar sobre bullying e cyberbullying

Na última semana, as alunas Aline Couto e Izabela Perez, do 1º ano do Ensino Médio, foram às salas das turmas de 6º ano para conversarem sobre bullying e cyberbullying, práticas que consistem em um conjunto de violências, sejam elas físicas, verbais e/ou psicológicas e que se repetem por um período, sejam elas na vida real ou virtual. As alunas fizeram a ação para atuar no projeto desenvolvido pelo colégio para a prevenção do bullying, realizado pela Orientação Educacional.

Com uma proposta didática, em que os estudantes do 6º ano também participavam ativamente do assunto, Aline e Izabela explicaram os três personagens principais de toda essa situação. O agressor, quem comete a violência, a vítima, quem sofre a agressão e a testemunha, que observa o que está acontecendo. Esta última pode mudar a situação com mais eficiência, ao não incentivar o agressor em seus atos e procurar ajuda para a vítima, que raramente fala com alguém sobre o que está acontecendo.

Divididos em grupos, os alunos jogaram um jogo de tabuleiro que mostrava os lados negativos de se cometer o bullying e as consequências que ambos os lados podem sofrer. A luta contra o bullying é uma política pública de educação e busca erradicar este ato, por meio de campanhas, diálogo e capacitação de profissionais.

Para ver as fotos, acesse nosso Flickr:

dc7dcb96-c870-4fac-b062-804e2cdb9a11

Estudos sobre drogas lícitas e ilícitas

As turmas do 8º ano, juntamente com o professor Anderson, fizeram alguns estudos sobre os vários tipos de drogas lícitas e ilícitas e seus malefícios para a saúde. Dividindo-se em grupos, cada um pesquisou sobre um tema específico: o histórico das drogas, sua ação no Sistema Nervoso, tratamentos, dados estatísticos e algumas curiosidades.

Além disso, discutiu-se muito sobre a relevância de se conversar sobre o assunto, que tanto atormenta a sociedade. Durante os debates, foi reforçada a ideia de que é importante evitar o primeiro contato, principalmente com drogas ilícitas.

Para ver as fotos das apresentações, acesse nosso Flickr:

1c4b3d42-e6f9-4184-bd9e-33167835caaf

Café filosófico: um espaço amplo pra debate!

Nos dias 6 e 8 de novembro aconteceu o tradicional café filosófico do ICJ. O projeto, que é realizado fundamentalmente por alunos do 7º ano, teve como tema norteador as “Atitudes para a construção de relações sustentáveis e humanizadoras em nossa sociedade”. A atividade contou com pessoas da nossa comunidade escolar e convidados de diversas áreas para enriquecer o debate sobre o tema.

“Indiscutível que o Café Filosófico possibilita a estes jovens uma reconstrução do conhecimento”. Essa é a avaliação do professor e realizador do projeto, Frederico Meira, frente a atividade. Segundo ele, espaços de discussões como estes proporcionam um olhar diferenciado sobre os fatos. Dessa forma, os alunos desenvolvem uma habilidade de enxergar as situações por diversos ângulos.

Maria Gabriela, do 7º ano A, concorda com o professor à medida que afirma que o desenvolvimento do café filosófico culminou em uma percepção ampla de mundo. “Foi possível conhecer a versão de várias pessoas sobre coisa que estão acontecendo no planeta”, afirma.

“Vivenciamos uma experiência educativa”, conta Luiza Nigri, aluna do 7º ano B. Para ela, o processo foi longo, envolveu muitas etapas, mas chegar ao final e ver o resultado foi gratificante. Além de vivenciar uma experiência de debate efetiva entre profissionais e alunos.

Uma das características que mais agradou Karina Mattar, mãe de quatro alunos da escola e palestrante no evento, foi à efetividade da linguagem proporcionada. “Quando eles debatem entre si o aprendizado e fixação fica mais leve, pois falam a mesma língua”, afirma. Além disso, ela ressaltou o quanto é importante refletir sobre o respeito, a sustentabilidade e a vivência em sociedade.

Confira a galeria de fotos no nosso Flickr:

IMG_4785

Para além dos muros da escola

Na última sexta-feira, dia 1º, os alunos do 8º ano fizeram uma visita técnica às cidades de São João Del Rei e Tiradentes. Com o objetivo de visualizar conteúdos apreendidos em sala de aula, com os professores Frederico Silva (História) e Valéria Alvarenga (Geografia), os alunos ainda fizeram uma viagem de Maria Fumaça entre as duas cidades.

Tendo como principal foco o conhecimento sobre o período colonial, excursões como essas se fazem de suma importância para a formação acadêmica dos alunos, uma vez que estimula a criatividade e faz com que eles levantem hipóteses. Além disso, descobrem novos conhecimentos através da vivencia prática.

Confira as fotos dessa atividade:

WhatsApp Image 2019-11-04 at 15.21.57

Criação de histórias pelo 7º ano

Os alunos do 7º ano do Ensino Fundamental executaram um trabalho que abordou os tipos de linguagem, verbal, não verbal e mista, no dia 24 de outubro. Foram feitas apresentações, para o 1º e 4º ano, em que os estudantes compartilharam seus aprendizados e criações.

Os alunos fizeram duplas e escolheram, na biblioteca do colégio, livros com linguagem não verbal, e cada dupla deveria produzir uma história de acordo com os livros escolhidos. Além disso, era necessário que as falas fossem produzidas tanto em português quanto em inglês, influenciando e incentivando o estudo de uma segunda língua.

Para ver as fotos da criação de histórias do 7º ano, acesse o nosso Flickr:

0c736c90-684a-4329-960e-9dbf476dd039