O #tbt de hoje relembra o nosso Drive Thru da Alegria!

Hoje é quinta-feira, dia de #tbt e, por isso, queremos relembrar um evento que aconteceu no mês passado, no colégio ICJ: o nosso Drive Thru da Alegria. No dia 8 de outubro, o colégio promoveu este encontro para matar a saudade dos alunos e comemorar o dia das Crianças e o Aniversário de 59 anos do Colégio. Durante o evento, todas as medidas de segurança foram adotadas, para garantir a proteção necessária a todos os participantes, que permaneciam dentro de seus carros e recebiam carinho e uma lembrança especial do colégio. 

Neste momento de muita descontração, as famílias estavam muito animadas ao rever a escola e levaram cartazes com mensagens de carinho a todos os funcionários presentes. O Drive Thru teve o objetivo principal de estreitar os laços de carinho e amizade, principalmente neste momento de muita saudade e contou com a participação de palhaços e muita música, para animar e promover a sociabilidade.

Os voluntários do Projeto Eutrapelia, do Colégio ICJ, apoiaram a Campanha do Hospital da Baleia, para arrecadação emergencial de leite e, durante o evento, arrecadaram muitos litros de leite, com o apoio das famílias. Toda a doação foi recolhida e encaminhada ao Hospital da Baleia, para fazer a diferença na vida de muitas pessoas.

Quer ver as fotos deste encontro de muita alegria? Clique aqui!

A Cultura Maker, no Colégio ICJ, já é uma realidade

Você já ouviu falar na Cultura Maker? Seu objetivo é a manutenção de um cotidiano escolar para estimular a autonomia, o respeito à diversidade, aumentar a autoestima e a autoconfiança. A finalidade é que os jovens entendam que são capazes de consertar e construir, incentivando-os a participar dos projetos de criação.

A adoção desse processo por diversos colégios substitui parte das aulas teóricas por experimentais, estimulando os alunos a entenderem os aspectos que envolvem um processo de criação. A ”cultura maker” é uma maneira rica de solucionar alguns problemas enfrentados pela educação, como a desmotivação, o uso de técnicas consideradas antiquadas e a pouca relação do que se aprende na teoria com o cotidiano.

A Cultura Maker, no Colégio ICJ, já é uma realidade para os estudantes do 6º ao 8º ano. Quando um aluno é incentivado a explorar sua criatividade e a buscar por novos conhecimentos, a autonomia é incentivada, cria-se uma independência rica, e o impacto disso é a democratização do conhecimento. A escola fica muito mais interessante quando se torna um ambiente colaborativo de aprendizagem, com maior interação entre os estudantes e professores.

Um exemplo prático disso foi a criação do novo uniforme do Colégio ICJ. Você sabia que ele foi criado em conjunto com os alunos? Dez estudantes voluntários participaram de todo o processo de criação do novo uniforme escolar, envolvendo-se em diversas reuniões com uma estilista. Ao final, duas coleções foram levadas para votação entre todos os alunos e os novos uniformes foram definidos.

Ficou interessado? Para saber mais sobre a criação do novo uniforme, clique aqui!

Faça você também uma horta – Plante e Encante!

Os alunos que participam do Maker Científico, junto à professora Viviane Maciel, construíram um painel coletivo, com um convite, para que toda a comunidade escolar comece a plantar e encantar. Com o tema “Faça você também uma horta – Plante e Encante”, os alunos deveriam postar um convite com uma mensagem motivadora sobre a importância do cultivo.

A sugestão do convite é para que as pessoas tenham a liberdade e o desejo de plantar o que for mais adequado para o seu espaço, como plantas medicinais, ornamentais, hortaliças e frutíferas. A ideia é desafiar a comunidade escolar do ICJ a fazer e cuidar de seu próprio jardim.

Com isso, deixamos aqui o convite feito pelos alunos participantes do maker científico: Até o final do ano de 2020, serão enviadas, por aplicativo, dicas de como cuidar de hortas e algumas curiosidades sobre o tema. Em dezembro, convidaremos todos a mandarem fotos do cultivo realizado.

Para ler sobre as duas outras atividades realizadas pelos alunos do Maker Científico, clique:

Hortas orgânicas: Saúde pessoal e ambiental

Dando continuidade ao projeto realizado pelos alunos participantes do Maker Científico, mais uma proposta foi feita pela professora Viviane: a montagem de um painel, com alguns tipos de sais minerais e vitaminas estudados durante as aulas. Ao apresentá-los, os estudantes também deveriam demonstrar algumas fontes que contém tal sal mineral e vitamina, destacando as funções específicas e os sinais de deficiência de cada um.

O objetivo principal desta atividade foi tornar visível e facilitar a circulação de informações a respeito de uma horta orgânica e seus diversos benefícios para a saúde e para o meio ambiente. Os produtos cultivados em hortas orgânicas são limpos, saudáveis e plantados em um sistema que preserva recursos naturais. 

Para saber mais sobre as horta orgânicas, acompanhe nossas redes sociais. Nas próximas semanas, dicas de como cuidar de hortas em casa e algumas curiosidades sobre o tema serão enviadas por aplicativo para toda a comunidade escolar. A ideia é que, em dezembro, todos os participantes mandem fotos do cultivo realizado para publicarmos nas redes sociais do colégio.

Para ler sobre as duas outras atividades realizadas pelos alunos do Maker Científico, clique:

Entendendo a importância das hortas orgânicas

Vlogs são considerados diários virtuais em vídeo, onde os autores falam sobre suas vidas ou questões que percorrem o cotidiano da sociedade de um modo geral. Com isso em mente, os alunos do Maker Científico realizaram, nas últimas semanas, vlogs sobre o conteúdo estudado durante as aulas. 

Em vídeos de no máximo cinco minutos, os estudantes deveriam explicar o significado de hortas orgânicas e qual a sua importância, além de curiosidades sobre o assunto. O material foi realizado em parceria com os professores Cíntia Combat e Pablo Carvalho, responsáveis pelos Makers de Comunicação e Tecnológico, respectivamente.

A atividade faz parte de um projeto dos alunos participantes do Maker Científico, em que um convite é feito a toda a comunidade escolar para que cada um, em sua casa, cultive sua própria horta. Nas próximas semanas, dicas de como cuidar de hortas em casa e algumas curiosidades sobre o tema serão enviadas por aplicativo. A ideia é que, em dezembro, todos que participaram mandem fotos do cultivo realizado.

Para ler sobre as duas outras atividades realizadas pelos alunos do Maker Científico, clique:

Memes e estudos: uma combinação que dá certo, sim!

Mais uma turma utilizou, em uma atividade de Língua Portuguesa, os memes. Dessa vez, os alunos do 8º ano EFII colocaram em prática os conceitos de aposto e vocativo de uma forma didática e, ao mesmo tempo, lúdica e divertida.

A expressão Memes de Internet é utilizada para difundir uma ideia ou conceito, através do meio virtual, rapidamente. Por isso, é comum que se transformem em virais e usem esta característica para divulgar e propagar uma ideia, marca e serviço de maneira diferente, saindo dos padrões normalmente utilizados.

Diante disso, e utilizando memes atuais, a compreensão de assuntos como os estudados pela turma, sobre aposto e vocativo, torna-se muito mais fácil e dinâmica. Relacionar conteúdos densos e que, normalmente, são recebidos com apreensão por parte dos alunos, à questões do dia a dia dos adolescentes é fundamental para uma didática mais participativa. 

Clique aqui para ver os memes produzidos pelos alunos do 8º ano EFII.

Projeto Fique Bem em Casa

O Projeto Fique Bem em Casa foi realizado no Ensino Fundamental II e Médio e contou com um período de atividades voltadas para a escuta e trabalho com os sentimentos e emoções dos adolescentes. Nossos alunos, da geração Z, nativos digitais, vivem imersos em um ambiente de fácil acesso à tecnologia e muitas informações disponíveis a cada segundo. No entanto, pesquisas atuais em neurociência no campo da pedagogia e competências socioemocionais apontam para a importância da abordagem da pedagogia afetiva.

Entre as atividades realizadas, estavam as apresentações musicais, com a participação dos próprios alunos do ICJ, momento Pet, em que os estudantes apresentaram seus animais de estimação, homenagem aos colegas que fazem aniversário no primeiro semestre do ano e gincanas de educação Física. Nesta, os professores Daniel Calazans e Elizete Marcatti organizaram uma gincana esportiva que foi realizada remotamente, com o cumprimento de tarefas previamente definidas, objetivando o movimento, raciocínio e criatividade.

Além de tudo isso, os alunos do 7º e 8º anos, que participam do Projeto Eutrapelia, produziram um vídeo para os idosos do Lar Clotilde Martins. A ideia central era transmitir apoio, carinho e tranquilidade aos moradores do Lar, que estão com pouca ou nenhuma visita neste momento de distanciamento social.

O Projeto Eutrapelia nasceu da necessidade de identificação da importância social e pedagógica do voluntariado educativo na ótica do Protagonismo Juvenil. Alinhado à proposta pedagógica voltada para uma educação com amor, o projeto incentiva o estudante a ser protagonista de ações transformadoras e a desabrochar suas habilidades a serviço da comunidade por meio de seus dons e talentos.  O projeto propõe a visitação de uma Instituição por mês, porém, com a necessidade de distanciamento social, foi necessário a paralisação temporária das atividades.

Veja algumas das atividades realizadas, clicando aqui. 

Experimento: ‘secando gelo’ no varal

As aulas presenciais foram temporariamente substituídas pelas virtuais, mas isso não privou os alunos de continuarem com seus experimentos de robótica, mesmo que em casa. Agora foi a vez dos alunos do 9º ano, do Ensino Fundamental II, a realizar uma prática curiosa e divertida.

Em uma pesquisa sobre a relação entre o gelo e o sal, a turma identificou, entre outros aspectos, que adicionar sal ao gelo faz com que seu resfriamento seja acelerado. Um exemplo disso é o uso de sal e gelo ao redor de bebidas, principalmente em festas: isso faz com que o gelo derreta e a salmoura fique a uma temperatura inferior a que estava quando havia apenas o gelo.

Após realizar a pesquisa, assistiram a um vídeo para instigar ainda mais a curiosidade. A proposta era produzir um varal de barbante e fazer com que o gelo grudasse no varal, apenas com o uso de sal. Os alunos se divertiram, colocando em prática conceitos estudados durante as aulas. 

Clique aqui para assistir ao vídeo sobre a proposta do desafio.

Clique aqui para ver um dos experimentos dos alunos. 

A gentileza nunca sai de moda

A gentileza caracteriza-se como um valor moral, transmitido desde a infância, e que, ao longo dos anos, vai se moldando de acordo com as experiências de cada pessoa. Ser gentil é agir de maneira amável e respeitosa em atos cotidianos de educação e cuidado com os outros. 

O Colégio ICJ preza pela atitudes gentis e que remetem a um bom relacionamento social. No projeto anual de linguagem, que envolve todas as matérias relacionadas a essa área do conhecimento, tivemos como tema, em 2020, a gentileza. Do 6º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio, a temática foi tratada em diversos aspectos. 

Veja abaixo as atividades desenvolvidas em cada série e os professores que fizeram parte das ações: 

– 6º ano EFII – Professora Rejane 

Os alunos realizaram um mural digital no padlet, uma ferramenta que possibilita a criação de quadros virtuais para a organização escolar e profissional. Todos foram incitados a se inspirar no livro “Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry, e retirar pensamentos e frases inspiradoras sobre a temática.

 

– 7º ano EFII – Professoras Aline e Raquel

No 7º ano EFII, os estudantes produziram vídeos sobre a prática de atos de gentileza em casa. Ajudar a lavar louças e auxiliar os irmãos nos deveres foram algumas das ações realizadas. Os alunos deveriam falar sobre as atividades tanto em inglês quanto em português, para incentivar o contato com a língua estrangeira. 

 

– 8º ano EFII – Professores Cintia, Andrea e Gustavo

As turmas de 8º ano EFII trabalharam a gentileza no esporte. Entendendo um pouco mais sobre o conceito e o que seria um bom manual da gentileza, os alunos alinharam as ideias ao mundo esportivo. Com isso, cada um produziu uma camisa virtual, para fazer parte da torcida da gentileza, e, em conjunto, um slogan para utilizar em anúncios que vinculem o tema ao esporte.

 

– 9° ano EFII – Professoras Nilvania e Shirley

A partir da leitura do livro de Clarice Lispector, “Laços de família”, os estudantes debateram sobre os novos modelos de família do século XXI, comparando-os àqueles trabalhados na obra de Lispector.

Com a frase “Os laços de família se fortalecem com a gentileza”, nasceu também a ideia de trabalhar a conscientização sobre o tema durante o período de distanciamento social. Pelo fato de o convívio familiar ser maior neste momento, os alunos criaram anúncios publicitários, com o objetivo de fortalecer e promover a gentileza entre os familiares. 

 

– 1ª série EM – Professora Viviane

Neste projeto, a turma foi inspirada pelo profeta da gentileza José Datrino, o pregador urbano, que espalhava mensagens de amor pela cidade do Rio de Janeiro  nos auges dos anos 60.

Divididos em grupos, os alunos ficaram responsáveis por divulgar, nas redes sociais, atos de gentileza praticada com os idosos, moradores de rua, mulheres, em casa, no trânsito, na pandemia e no trabalho. Outro grupo tinha a tarefa de cuidar da parte escrita, com frases de efeito que levassem à reflexão dos leitores. As atividades deveriam ser produzidas tanto em inglês quanto em português. 

 

– 2ª série EM – Professora Alexsandra

O foco desta turma era desconstruir ideias prontas que circulam na internet e geram desconforto em algumas pessoas, são consideradas situações ilegais e/ou práticas de cyberbullying. Entre os temas estavam: Cultura do cancelamento e suas consequências, Representativa e racismo estrutural no cinema, Intolerância religiosa, Violência contra animais, Fake News, Fake news sobre a pandemia e Preconceito.

 

– 3ª série EM – Professora Alexsandra

Os alunos do 3º ano EM foram instigados a entender sobre como o conhecimento científico e teórico contribui para práticas mais éticas e gentis. Um exemplo disso seriam as divulgações de notícias com conteúdo falso, as chamadas fake news, que prejudicam toda uma sociedade ao serem cada vez mais dissipadas. 

Quer ver as atividades realizadas pelas turmas? Clique aqui!

Você também encontra alguns trabalhos aqui:

PROJETO GENTILEZA.TORCIDA – 8º ano EFII

Intolerância Religiosa – 2ª série EM

Corrigindo erros históricos – 3ª série EM

Combatendo as Injúrias Homofóbicas – 3ª série EM

 

Alimentação infantil na quarentena. Como manter saudável?

Manter uma rotina de alimentação saudável é importante, principalmente nos primeiros anos de vida. A criança que se alimenta bem cresce saudável, com maior desempenho escolar, desenvolvimento social e força corporal. Porém, sabemos que construir um bom padrão nutricional é difícil e requer, principalmente, persistência e criatividade.

Essa importância aumenta ainda mais durante o período de distanciamento social. Para manter o sistema imunológico fortalecido e prevenir, entre outros, a obesidade infantil, é interessante criar uma rotina, evitando comer produtos industrializados como biscoitos, salgadinhos e massas.

Mas como criar o hábito saudável, já que os produtos industrializados são de fácil acesso, rápidos e mais gostosos e chamativos? Veja algumas dicas que podem ajudar nos cuidados com a alimentação infantil, principalmente durante a quarentena: 

– Crie uma rotina de alimentação, com horários definidos. Isso reduz o risco de “beliscar” algum lanche ou doce durante as refeições.

– Deixe frutas prontas para o consumo e à vista das crianças. Estes alimentos podem ser oferecidos durante o café da manhã, café da tarde ou, até mesmo, como sobremesa. 

– Convide as crianças a participarem do preparo da comida. Use este momento para mostrar como são preparados os alimentos e deixe que as crianças também auxiliem na cozinha.

– Invente novos cardápios e seja criativo na montagem do prato. Ofereça os alimentos preferidos da criança junto com outros que ela não conhece ou rejeita e use a criatividade para montar pratos coloridos, formando paisagens, rostos e até animais.

A educação alimentar é um aprendizado gradativo e deve começar em casa, com o auxílio de pais e responsáveis. Veja a pirâmide alimentar a seguir, com os tipos de alimentos que devem ser ingeridos em maior ou menor quantidade. 

Fonte: Hospital Infantil Sabará (2017)

 

Fonte: RIBEIRO, Maiara. Cuidados com a alimentação das crianças durante a quarentena. [S. l.], 2020. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/alimentacao/cuidados-com-a-alimentacao-das-criancas-durante-a-quarentena/. Acesso em: 8 jul. 2020.

ESCOLA DE INTELIGÊNCIA. Alimentação infantil: qual a importância da educação alimentar?. [S. l.], 14 mar. 2020. Disponível em: https://escoladainteligencia.com.br/alimentacao-infantil-qual-a-importancia-da-educacao-alimentar/. Acesso em: 8 jul. 2020.