Manifesto do SINEP MG

Reproduzimos abaixo o manifesto do presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (SINEP MG) referente à divulgação de rankings de escolas a partir dos resultados do Enem.

 

SINEP/MG repudia “rankings” entre escolas através de notas do Enem

O SINEP/MG, através de seu presidente, prof. Emiro Barbini, vem a público repudiar as tentativas de se criar rankings de escolas a partir dos resultados do Enem em 2017.

Embora o MEC, neste ano, tenha decidido não mais divulgar as notas das escolas no Exame, diversos colégios e empresas de consultorias passaram a calcular suas próprias médias, manipulando o resultado conforme seus interesses.

Há vários anos, especialistas e educadores criticam os rankings elaborados através da nota do Enem, uma vez que o exame em si não tem a função e muito menos a capacidade de avaliar a qualidade das instituições.

A divulgação do resultado do Enem tem criado um ambiente muito mais publicitário do que educativo.

Sabe-se, há alguns anos, que diversas instituições inscrevem um número pequeno de alunos em um outro CNPJ para conseguir posições mais elevadas nas notas finais, o que torna o ambiente desleal e competitivo entre escolas.

Diversos destes “rankings” divulgados em 2017 não levam em conta, por exemplo, o método da Teoria de Resposta ao Item (TRI), um sistema utilizado pelo MEC capaz de analisar as questões respondidas corretamente com um peso específico para cada acerto.

Além do mais, pela complexidade que se dá todo o sistema da Educação Básica na formação de um indivíduo, desde os primeiros anos da Educação Infantil até os últimos anos do Ensino Médio, é impossível avaliar a qualidade da escola através de um teste único, aplicado apenas uma vez ao ano, como o Enem.

Sabemos que o Enem é a ferramenta que permite o ingresso na maioria das universidades brasileiras.

Sabemos que ela é importante e que, apesar dos erros e falhas, deve ser mantida e aperfeiçoada.

No entanto, não é ético, responsável e, sobretudo, educativo, utilizar os dados disponibilizados pelo Inep para fazer propaganda de instituições de ensino.

Equipe ICJ em palestra da ACMinas

No dia 29/11, colaboradores e alunos do Colégio ICJ compareceram à palestra “A força das mulheres no empreendedorismo tecnológico”, ministrada por Ciranda de Morais na ACMinas.

O evento girou entorno da revolução advinda com a era digital e da maneira como vivemos e fazemos conexões. A palestrante enfatizou que o mundo está cada vez mais conectado e que as formas tradicionais de fazer negócios já não são suficientes, demandando soluções mais criativas e inovadoras.

Entre os presentes, estavam a Presidente do Conselho da Mulher Empreendedora da ACMinas e Diretora de Ensino do ICJ Christina Fabel, a Diretora Pedagógica do ICJ Aparecida Nicolai, o técnico de informática Denilson Barbosa, o estagiário do Ensino Médio Ângelo Cardoso, o orientador de Robótica Pablo Carvalho e os alunos Gabriel Morais e Matheus Ribeiro.

Pablo Carvalho e os alunos encontraram no evento uma oportunidade para ampliarem os conhecimentos sobre empreendedorismo tecnológico, buscando novas experiências e uma perspectiva diferente para consolidarem a empresa de Educação Tecnológica para Jovens, que estão estruturando como desdobramento da startup The Life Project.

Foi uma palestra que agregou muito a todos os convidados e, principalmente, aos novos jovens empreendedores!

Mostra de Artes da Educação Infantil

No dia 25/11, sábado, aconteceu no ICJ a Mostra de Artes da Educação Infantil. Os alunos expuseram para os familiares e demais colegas o resultado do trabalho que vem sendo desenvolvido ao decorrer do ano com o projeto Crianças de Todo o Mundo.

Cada turma organizou exposições com o que havia produzido nas aulas e decorou a sala com aspectos típicos das localidades estudadas.

O Maternal II, com o auxílio das professoras, confeccionou, com material reciclado, um forno de papelão recoberto com barro, uma gôndula, a Torre de Pisa e enfeites com caixas de pizza em referência à Itália.

Já o Maternal III, que estudou o Japão, decorou a sala com um tatame, um dragão japonês, peças de origami e os robôs cedidos por Pablo, orientador de Robótica do Colégio. A outra turminha de Maternal III realizou a exposição com a temática da Austrália, contando com um criativo painel sobre barreira de corais, mascotes confeccionados pelas famílias e a degustação do pão australiano damper.

O 1º período, que abordou a Índia, produziu colares, pulseiras e sandálias indianas, uma representação do Tuk Tuk e um delicioso biscoito indiano. E com a professora de Inglês, trouxeram para dentro de sala o clima dos Estados Unidos, mais especificamente de Nova Iorque, com pontos turísticos como a Estátua da Liberdade, Wall Street, Central Park, Brodway e Times Square.

O 2º período que expôs sobre a África apresentou a vida selvagem do continente a partir de representações de animais como leão, elefante, girafa, macacos e rinocerontes, além de almofadas e quadros decorados com a imagem de tais bichos. Com a proposta das aulas de Inglês, abordaram a Inglaterra, com ênfase em Londres e suas peculiaridades: o Big Bang, a Torre de Londres, os guardas da rainha e a hora do chá. A turminha da manhã, por sua vez, retratou o Polo Sul e transformou a sala com uma simulação de neve, um trenó, pinguins e bonecos de neve!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsmb3QVDR

Projeto Rapunzel

Júlia Lanza Orsine, aluna do Colégio ICJ, idealizou o Projeto Rapunzel, que objetiva doar perucas para crianças e adolescentes com câncer. Sua proposta é recolher lacres de alumínio e vender para reciclagem, viabilizando a arrecadação de recursos para compra das perucas. A motivação veio em 2016, quando sua mãe havia sido acometida por um câncer de mama e vivenciou a perda de cabelo durante a quimioterapia.

Diante dessa situação, ambas se mobilizaram com o profundo impacto que a ausência de cabelo causa em crianças e adolescentes do sexo feminino que também passam pelo tratamento contra o câncer. A partir desse momento, criaram uma campanha solidária informal, assistencial e benevolente com o objetivo de aumentar a estima, autoconfiança e melhorar qualidade de vida desses grupos em situação de vulnerabilidade.

A ideia foi trazida para as aulas de Formação Humana e, com o apoio da professora Mônica e da Coordenadora Junia, o projeto foi consolidado. A partir disso, a escola vem fomentando uma formação subjetiva e cidadã dos alunos, contribuindo para sustentabilidade do meio ambiente e estimulando a prática do empreendedorismo aliada à responsabilidade social.

Contudo, para que esse projeto alcance cada vez mais pessoas, é preciso que a comunidade ICJ se disponha a colaborar. Basta recolher lacres das latinhas e depositar nos pontos de coleta espalhados pelo Colégio!

Contamos com você!!!

4º ano visita o Mercado Central

Complementando os conteúdos das disciplinas História e Geografia, os alunos de 4º ano do Colégio ICJ realizaram uma visita técnica ao Mercado Central de BH, na quarta-feira, dia 29/11.

Os estudantes foram recebidos por uma educadora e participaram de uma palestra sobre história do Mercado, com apresentação de imagens e do vídeo institucional. Em seguida, foram levados para um passeio pelos corredores do local, acompanhados por um monitor e um segurança.

As crianças reconheceram o Mercado como centro de comércio e ponto turístico da capital, com suas tradições e o seu contexto na história da cidade. Dessa forma, puderam ampliar os conceitos de comércio, varejo, origem das matérias primas, cultura local, biodiversidade e localização espacial, bem como aprender sobre as relações de consumo, formas de socialização e aspectos da vida moderna!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsm8PbN1R

Aniversário do Clube da Leitura

No dia 17 de novembro, aconteceu no ICJ a comemoração de 8 anos do Clube da Leitura ICJ.

Alunos e ex-alunos integrantes do Clube foram convidados e, assim como as mediadoras, compareceram ao evento com fantasias de personagens dos livros de que mais gostam.

A confraternização contou com um vídeo contando a história do clube desde o início e depoimento de seus integrantes, que participaram do grupo em diferentes épocas.

Houve também um show de música ao vivo, comandado por dois dos convidados, além de deliciosos lanches e coquetéis sem álcool elaborados por um habilidoso barman.

Todos se divertiram muito e relembraram bons momentos. O primeiro encontro de gerações do clube vai ficar na lembrança de todos!!!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsm9TUB4h

1º ano do Ensino Médio visita Memorial Minas Vale

Nesta terça-feira, dia 28/11, o 1º ano do Ensino Médio realizou uma visita ao Memorial Minas Gerais Vale, museu que integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade.

O objetivo da visita foi aproximar os alunos de espaços que trazem a alma e as tradições de Minas, contadas de forma interativa e contemporânea.  45°Marcadores

Caracterizado como Museu de Experiência, o local conta com exposições com obras de artistas como Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Lygia Clark e Sebastião Salgado, além de ambientes temáticos que remetem aos movimentos Barroco e Modernismo Mineiro, bem como à família mineira, às fazendas, à Casa da Ópera e às vilas dos séculos passados.

Com cenários reais e virtuais se misturando, os alunos puderam colocar em contato direto presente e passado, vivenciando experiências e sensações que atravessam nosso tempo!

Atividade de Robótica com o Maternal III

Na última sexta-feira, dia 24/11, o orientador de Robótica do ICJ, Pablo Carvalho, desenvolveu uma atividade especial com os alunos de Maternal III do Colégio.

Na ocasião, a turminha, que está estudando o Japão no projeto Crianças de Todo o Mundo, pode compreender um pouquinho sobre robôs a partir de uma comparação com a tecnologia japonesa.

Pablo mostrou às crianças alguns robôs montados no ICJ e programados por Jade Gurgel, aluna do Ensino Médio. Em paralelo, ele explicou o funcionamento de robôs autônomos, que são capazes de se moverem sozinhos.

Pablo expôs aos alunos cachorrinhos que interagem com seres humanos sem controle remoto, um robô andarilho que se equilibra em duas rodas e um veículo controlado remotamente. As crianças interagiram com todos eles e ainda tiveram a oportunidade de controlar o carrinho.

Essa foi mais uma prova de que o aprendizado pode sim ser lúdico e divertido!!!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsksdhB1S

Primeira Eucaristia de alunos da catequese

Anualmente, o ICJ realiza a catequese para os alunos de 5º ano interessados em fazer a Primeira Eucaristia. Os encontros acontecem no Colégio às quintas-feiras e centram-se nos princípios e conhecimentos da doutrina cristã, bem como nos valores humanos fundamentais para uma convivência harmoniosa.

A turma deste ano ingressou na catequese no mês de março e, desde então, demonstrou muita dedicação e empenho. Nos dias 21 e 22 de novembro, os alunos fizeram a confissão com o Padre Cláudio e deram mais um passo rumo à Primeira Eucaristia, que aconteceu no dia 23/11. Na ocasião, familiares, catequizandos, diretores e colaboradores do Colégio se reuniram na Igreja São Vicente de Paulo em uma emocionante missa, que concretizou um dos sete sacramentos.

Os alunos receberam a Primeira Comunhão, que simboliza o corpo e sangue de Cristo, afirmando o sinal da unidade e o vínculo da caridade. E para consolidar tal caridade, os alunos doaram os chinelos brancos, usados durante a cerimônia, que serão posteriormente encaminhados  às crianças necessitadas!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsm6FkXmm

Projeto Consciência Negra

No dia 22/11, alunos de 8º e 9º anos participaram do projeto Consciência Negra, proposto pelos professores de Geografia e História do Colégio.

Diante do crescente desrespeito do ser humano pelo seu igual, do aumento da intolerância e da incapacidade das pessoas em conviver com o outro, os professores viram a oportunidade de promoverem uma discussão acerca do etnocentrismo, com ênfase na África, Oriente Médio, Ásia e Europa.

As turmas se subdividiram e cada grupo preparou uma apresentação com um ou mais conflitos ocorridos na localidade estudada, ampliando a discussão para os demais alunos, professores e toda comunidade escolar.

Durante o trabalho, os estudantes abordaram os aspectos históricos, geográficos, humanos e sociais no curso da história da humanidade, principalmente no que diz respeito às práticas etnocêntricas e suas consequências, da antiguidade à atualidade.

Com isso, os participantes puderam realizar uma profunda reflexão sobre a importância da tolerância e do respeito para viabilizar um convívio harmônico e solidário entre as pessoas!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsmaerNka