A Cultura Maker, no Colégio ICJ, já é uma realidade

Você já ouviu falar na Cultura Maker? Seu objetivo é a manutenção de um cotidiano escolar para estimular a autonomia, o respeito à diversidade, aumentar a autoestima e a autoconfiança. A finalidade é que os jovens entendam que são capazes de consertar e construir, incentivando-os a participar dos projetos de criação.

A adoção desse processo por diversos colégios substitui parte das aulas teóricas por experimentais, estimulando os alunos a entenderem os aspectos que envolvem um processo de criação. A ”cultura maker” é uma maneira rica de solucionar alguns problemas enfrentados pela educação, como a desmotivação, o uso de técnicas consideradas antiquadas e a pouca relação do que se aprende na teoria com o cotidiano.

A Cultura Maker, no Colégio ICJ, já é uma realidade para os estudantes do 6º ao 8º ano. Quando um aluno é incentivado a explorar sua criatividade e a buscar por novos conhecimentos, a autonomia é incentivada, cria-se uma independência rica, e o impacto disso é a democratização do conhecimento. A escola fica muito mais interessante quando se torna um ambiente colaborativo de aprendizagem, com maior interação entre os estudantes e professores.

Um exemplo prático disso foi a criação do novo uniforme do Colégio ICJ. Você sabia que ele foi criado em conjunto com os alunos? Dez estudantes voluntários participaram de todo o processo de criação do novo uniforme escolar, envolvendo-se em diversas reuniões com uma estilista. Ao final, duas coleções foram levadas para votação entre todos os alunos e os novos uniformes foram definidos.

Ficou interessado? Para saber mais sobre a criação do novo uniforme, clique aqui!

Faça você também uma horta – Plante e Encante!

Os alunos que participam do Maker Científico, junto à professora Viviane Maciel, construíram um painel coletivo, com um convite, para que toda a comunidade escolar comece a plantar e encantar. Com o tema “Faça você também uma horta – Plante e Encante”, os alunos deveriam postar um convite com uma mensagem motivadora sobre a importância do cultivo.

A sugestão do convite é para que as pessoas tenham a liberdade e o desejo de plantar o que for mais adequado para o seu espaço, como plantas medicinais, ornamentais, hortaliças e frutíferas. A ideia é desafiar a comunidade escolar do ICJ a fazer e cuidar de seu próprio jardim.

Com isso, deixamos aqui o convite feito pelos alunos participantes do maker científico: Até o final do ano de 2020, serão enviadas, por aplicativo, dicas de como cuidar de hortas e algumas curiosidades sobre o tema. Em dezembro, convidaremos todos a mandarem fotos do cultivo realizado.

Para ler sobre as duas outras atividades realizadas pelos alunos do Maker Científico, clique:

Hortas orgânicas: Saúde pessoal e ambiental

Dando continuidade ao projeto realizado pelos alunos participantes do Maker Científico, mais uma proposta foi feita pela professora Viviane: a montagem de um painel, com alguns tipos de sais minerais e vitaminas estudados durante as aulas. Ao apresentá-los, os estudantes também deveriam demonstrar algumas fontes que contém tal sal mineral e vitamina, destacando as funções específicas e os sinais de deficiência de cada um.

O objetivo principal desta atividade foi tornar visível e facilitar a circulação de informações a respeito de uma horta orgânica e seus diversos benefícios para a saúde e para o meio ambiente. Os produtos cultivados em hortas orgânicas são limpos, saudáveis e plantados em um sistema que preserva recursos naturais. 

Para saber mais sobre as horta orgânicas, acompanhe nossas redes sociais. Nas próximas semanas, dicas de como cuidar de hortas em casa e algumas curiosidades sobre o tema serão enviadas por aplicativo para toda a comunidade escolar. A ideia é que, em dezembro, todos os participantes mandem fotos do cultivo realizado para publicarmos nas redes sociais do colégio.

Para ler sobre as duas outras atividades realizadas pelos alunos do Maker Científico, clique:

Entendendo a importância das hortas orgânicas

Vlogs são considerados diários virtuais em vídeo, onde os autores falam sobre suas vidas ou questões que percorrem o cotidiano da sociedade de um modo geral. Com isso em mente, os alunos do Maker Científico realizaram, nas últimas semanas, vlogs sobre o conteúdo estudado durante as aulas. 

Em vídeos de no máximo cinco minutos, os estudantes deveriam explicar o significado de hortas orgânicas e qual a sua importância, além de curiosidades sobre o assunto. O material foi realizado em parceria com os professores Cíntia Combat e Pablo Carvalho, responsáveis pelos Makers de Comunicação e Tecnológico, respectivamente.

A atividade faz parte de um projeto dos alunos participantes do Maker Científico, em que um convite é feito a toda a comunidade escolar para que cada um, em sua casa, cultive sua própria horta. Nas próximas semanas, dicas de como cuidar de hortas em casa e algumas curiosidades sobre o tema serão enviadas por aplicativo. A ideia é que, em dezembro, todos que participaram mandem fotos do cultivo realizado.

Para ler sobre as duas outras atividades realizadas pelos alunos do Maker Científico, clique:

Escolha da Logo do Maker de Comunicação

O Maker de Comunicação já está com várias produções em andamento, e uma delas é a criação da Logo do projeto, que foi escolhida na última semana. Dez logos foram colocadas em votação, pelo questionário do Google e obtiveram, no total, mil cento e vinte e três votos. A votação era aberta ao público e seu andamento poderia ser acompanhado através do Instagram do projeto, @maker.comunicacaoicj.

As alunas vencedoras foram Giovanna Amaral, Maria Clara Barbosa, Maria Gabriela Ferreira e Fernanda Pinheiro, do 8º ano A, do Ensino Fundamental II. O símbolo que será utilizado para representar o Maker de Comunicação possui elementos que traduzem o objetivo do projeto e sua criação estimulou os alunos a contribuírem, desde o início, com o desenvolvimento e participação nas atividades.

1º dia do Projeto Maker

As aulas já começaram, os alunos voltaram aos estudos, a escola está mais agitada e o projeto Maker teve início logo na primeira semana. A partir de 2020, todos os alunos do Ensino Fundamental II – 6º ao 8º ano, terão a inclusão do Projeto Maker como disciplina no currículo.

Em um primeiro momento, os alunos foram divididos de acordo com a área escolhida – Científico, Comunicação e Tecnológico. Os professores responsáveis por cada Maker deram uma breve explicação sobre o que será desenvolvido ao longo do ano, quais as propostas e finalidade do Projeto.

Logo após, todos os alunos foram reunidos na quadra do colégio para uma dinâmica. Algumas gaiolas foram dispostas pelo local e o objetivo era que os estudantes colocassem nelas tudo aquilo que os impedia de expor suas ideias e opiniões. Essa dinâmica será retomada no decorrer do Projeto, onde serão feitas dobraduras em formato de avião, com tudo aquilo que foi escrito. A intenção é identificar a evolução dos alunos e mostrar que todas as ideias são válidas e não precisam estar “engaioladas”.

Para ver as fotos de tudo o que aconteceu no 1º dia do Projeto Maker, acesse o nosso Flickr:

deaa9182-e99a-4581-ad65-2d1583b48ef8

Cultura Maker

A manutenção de um cotidiano escolar para estimular crianças e jovens a terem autonomia, a cuidarem de si mesmos e a se gostarem é fundamental e desafiador para educador e estudantes. A ”cultura maker” é um processo para aumentar o respeito à diversidade e contribuição para melhor elaboração da autoestima e autoconfiança.

A proposta tem sido implantada nas diversas áreas do conhecimento, em decorrência das mudanças estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incentivando os alunos do Ensino Fundamental ao Médio a participarem dos projetos de criação. O foco é os jovens entenderem que são capazes de consertar, construir e, principalmente, criar.

É cada vez mais necessária experimentação para tornar o aprendizado ainda mais significativo para o estudante e para a sociedade, desenvolvendo competências essenciais, como a criatividade, autonomia e empatia. A adoção desse processo por diversos colégios substitui parte das aulas teóricas por experimentais, estimulando os alunos a entenderem os aspectos que envolvem um processo de criação. A ”cultura maker” é uma maneira rica de solucionar alguns problemas enfrentados pela educação, como a desmotivação, o uso de técnicas consideradas antiquadas e a pouca relação do que se aprende na teoria com o cotidiano.

Já é tempo de acabar com o estigma que a sala de aula é um ambiente monótono. A ”cultura maker” no Colégio ICJ, por exemplo, é uma realidade e, recentemente uma das ações foi a criação dos novos uniformes para 2020. Os alunos se envolveram diretamente no processo de criação, pesquisa e desenvolvimento dos modelos que serão adotados a partir de 2020. O tema desse maker tem o interesse direto dos estudantes, pois trata-se da escolha da roupa que vão usar. Eles conversam em sala de aula para levantar ideias e sugestões sobre expressão gráfica e maneiras de se expressar com o vestuário, ampliando o conhecimento. A situação é o momento em que todos aprendem sobre diversos conceitos, como moda, indústria têxtil e indústria circular, matérias primas, revolução 4.0 e tecnologia.

Quando um estudante é incentivado a explorar sua criatividade, a buscar por novos conhecimentos, a autonomia é incentivada, cria-se uma independência rica, e o impacto disso é a democratização do conhecimento. A escola fica muito mais interessante quando se torna um ambiente colaborativo de aprendizagem, com maior interação entre os estudantes e professores no processo de ensino-aprendizagem, algo inerente à proposta das metodologias ativas de ensino.