Aprovados 2020

Os alunos do Colégio ICJ foram muito bem nos resultados das diversas faculdades de Minas Gerais e até mesmo de São Paulo! As aprovações de 2020 mostram que os alunos e equipe pedagógica fizeram muito esforço e obtiveram muito aprendizado. Confira:

Alice Parreiras Campos: Engenharia Química – USP

Ana Paula Dias Alves Oliveira: Medicina Veterinária – PUC Minas

Camila Jordana Figueiredo de Oliveira: Medicina Veterinária – Newton Paiva

Eduardo Gil Santos: Arquitetura e Urbanismo – PUC Minas

Giovanna Gonçalves Maia: Design de Ambientes – UEMG

Isabella Cerqueira Mourthé: Medicina – UFMG

Isadora Reis de Souza: Engenharia Metalúrgica – UFMG

João Gabriel Mendes Barbosa: Arquitetura e Urbanismo – PUC Minas

Júlia de Melo Borges: Relações Internacionais – PUC Minas & Estética e Cosmetologia – Newton Paiva

Kevyn Douglas Dias Silva: Engenharia de Minas – UFMG

Mariana Borelli Pereira: Administração Pública – Fundação João Pinheiro

Pedro Marcos Siqueira de Castro Santos: Direito – Dom Helder Câmara

Nós, do Colégio ICJ, desejamos muito sucesso na nova etapa que se inicia.

Reunião administrativo e pedagógica

No primeiro sábado de fevereiro de 2020 foi realizada uma reunião com todos os funcionários e professores do Colégio ICJ. O objetivo da reunião, que tinha como tema a felicidade, era alinhar as ideias que serão desenvolvidas ao longo de 2020 e mostrar os resultados obtidos em 2019.

Uma ação que foi divulgada e recebeu muitos elogios foi a substituição dos copos descartáveis por canecas de inox, para a equipe administrativa e pedagógica do colégio. A partir do dia 17 de fevereiro, não serão mais disponibilizados copos descartáveis para os funcionários, evitando o uso de cerca de 82 mil copos por ano.  Todos receberam uma caneca inox, para uso individual.

O ponto alto da reunião foi a palestra Happy & Fullest, com a assessora do Sistema Bernoulli, Vanessa Santos. A palestra tinha como finalidade incentivar a todos, em uma sistematização de um plano individual para a felicidade. Não basta apenas pensar no que se deseja e pretende fazer, é preciso ir para a prática.

Dessa forma, um desafio foi proposto: Os funcionários e professores precisam enviar uma mensagem a três colegas de trabalho, sorteados no dia, e fomentar a comunicação e a proximidade entre todos. Além disso, o mês de fevereiro será um momento de desafiar a si mesmos, fazendo algo que há muito tempo pensam em fazer, mas que por algum motivo deixaram para depois.

2019 foi um ano de muitas mudanças, realizações e expectativas alcançadas. O Colégio ICJ deseja que 2020 seja ainda melhor! Esperamos alcançar nossos objetivos porque, afinal, como discutido na reunião, é preciso não apenas querer, mas ir em busca dos resultados. Desejamos um ótimo ano a todos, repleto de muitas conquistas!

Substituição de copos descartáveis por canecas de inox

O Colégio ICJ, consciente das causas ambientais e questões sustentáveis, iniciou uma ação com funcionários e professores para reduzir a produção exacerbada de lixo. A partir de hoje, dia 17 de fevereiro, não serão mais disponibilizados copos descartáveis no ambiente de trabalho. Para isso, toda a equipe recebeu, individualmente, uma caneca de inox, fazendo com que a substituição seja realmente efetiva.

Nesse sentido, serão poupados 82 mil copos descartáveis por ano, e evitaremos o acúmulo desnecessário de lixo. É inegável que, além da economia ambiental, o financeiro também será afetado positivamente.

Para Cláudia Abreu, coordenadora de Recursos Humanos do colégio, a iniciativa da substituição de copos descartáveis por canecas era algo discutido há um tempo, principalmente entre professores. A ideia se concretizou e a adesão, antes mesmo do dia oficial para a troca, já é alta por toda a equipe.

Segundo ela, a ação atua na consciência: “Você não se limita apenas ao copinho descartável e começa a pensar em todas as outras maneiras para ajudar o meio ambiente. Não adianta fazer o movimento das canecas e continuar tendo outras ações não condizentes”.

Até o momento, a iniciativa ocorre apenas com a equipe de funcionários e professores, mas afeta também os alunos, que são influenciados indiretamente pela ação. Principalmente os professores, em sala de aula, são capazes de inspirar os estudantes a terem práticas sustentáveis.

Cultura Maker

A manutenção de um cotidiano escolar para estimular crianças e jovens a terem autonomia, a cuidarem de si mesmos e a se gostarem é fundamental e desafiador para educador e estudantes. A ”cultura maker” é um processo para aumentar o respeito à diversidade e contribuição para melhor elaboração da autoestima e autoconfiança.

A proposta tem sido implantada nas diversas áreas do conhecimento, em decorrência das mudanças estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incentivando os alunos do Ensino Fundamental ao Médio a participarem dos projetos de criação. O foco é os jovens entenderem que são capazes de consertar, construir e, principalmente, criar.

É cada vez mais necessária experimentação para tornar o aprendizado ainda mais significativo para o estudante e para a sociedade, desenvolvendo competências essenciais, como a criatividade, autonomia e empatia. A adoção desse processo por diversos colégios substitui parte das aulas teóricas por experimentais, estimulando os alunos a entenderem os aspectos que envolvem um processo de criação. A ”cultura maker” é uma maneira rica de solucionar alguns problemas enfrentados pela educação, como a desmotivação, o uso de técnicas consideradas antiquadas e a pouca relação do que se aprende na teoria com o cotidiano.

Já é tempo de acabar com o estigma que a sala de aula é um ambiente monótono. A ”cultura maker” no Colégio ICJ, por exemplo, é uma realidade e, recentemente uma das ações foi a criação dos novos uniformes para 2020. Os alunos se envolveram diretamente no processo de criação, pesquisa e desenvolvimento dos modelos que serão adotados a partir de 2020. O tema desse maker tem o interesse direto dos estudantes, pois trata-se da escolha da roupa que vão usar. Eles conversam em sala de aula para levantar ideias e sugestões sobre expressão gráfica e maneiras de se expressar com o vestuário, ampliando o conhecimento. A situação é o momento em que todos aprendem sobre diversos conceitos, como moda, indústria têxtil e indústria circular, matérias primas, revolução 4.0 e tecnologia.

Quando um estudante é incentivado a explorar sua criatividade, a buscar por novos conhecimentos, a autonomia é incentivada, cria-se uma independência rica, e o impacto disso é a democratização do conhecimento. A escola fica muito mais interessante quando se torna um ambiente colaborativo de aprendizagem, com maior interação entre os estudantes e professores no processo de ensino-aprendizagem, algo inerente à proposta das metodologias ativas de ensino.

Missa em Ação de Graças do 3º ano do Ensino Médio

A missa em Ação de Graças pela conclusão do Ensino Médio aconteceu na última quarta-feira, dia 4, e contou com a presença dos diretores, professores, funcionários, familiares e alunos do 3º ano do Ensino Médio. A Celebração ocorreu na Igreja Nossa Senhora de Fátima.

Desejamos muita felicidade e sucesso nesta nova etapa, o Colégio ICJ sempre estará de portas abertas para todos os alunos, para nos visitar-nos.

Para ver as fotos, acesse o Flickr do Colégio:

e29ccf86-e26a-4223-a864-bffd6f7b25be

‘Cultura Maker’ inova aprendizagem

O Portal O contorno de BH divulgou uma matéria, dia 28 de dezembro de 2019, sobre a proposta da Cultura Maker, que vem inovando a aprendizagem nas escolas.

A autora, Daniela Pérez, é gestora de Relações Institucionais do Colégio ICJ e conta sobre esta nova proposta, que tem sido implantada em decorrência das mudanças estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Confira a matéria pelo link: http://www.ocontornodebh.com.br/index.php/2019/11/28/cultura-maker-inova-aprendizagem/

Exercitando a cidadania

 

Como forma de exercitar a cidadania, as turmas do 3º ano do Ensino Fundamental organizaram e participaram de uma eleição. O objetivo era fazer com que os alunos entendessem sobre o processo democrático, conteúdo estudado principalmente nas aulas de história.

Os candidatos foram escolhidos e fizeram campanhas juntamente com um comitê eleitoral, além de confeccionarem todo o material, como cédulas, urna e título eleitoral e a contagem e apuração de votos, participando ativamente de todo o processo.

Para ficar por dentro do que aconteceu, acesse o link do Flickr:

00be0bcf-22fc-45a9-bb50-d81ec4249469

‘Cultura Maker’ inova ensino

Uma matéria sobre a cultura maker, uma proposta que tem sido implantada nas diversas áreas do conhecimento, foi publicada pelo Jornal Estado de Minas, no dia 19 de novembro de 2019. A Gestora de Relações Institucionais do Colégio ICJ, Daniela Pérez, foi convidada para tratar sobre este tema que desafia os jovens a entenderem que são capazes de consertar, construir e, principalmente, criar.

Confira a matéria pelo link: http://files.digital.em.com.br/flip/1/3877/175865/original.pdf

 

Apresentação da Universidade de Lisboa aos alunos

Com o objetivo de mostrar as variadas formas de perspectiva de futuro, o Colégio ICJ foi, juntamente com os alunos do Ensino Médio, a uma palestra com o Reitor da Universidade de Lisboa, reconhecida internacionalmente por sua qualidade de ensino. O evento possuía a intenção de apresentar aos estudantes brasileiros tanto a instituição quanto o programa de internacionalização que busca levar estudantes estrangeiros, especialmente do Brasil, para estudar em Lisboa.

O Colégio ICJ incentiva seus alunos a buscarem seus objetivos, mostrando que, com força de vontade, todos conseguem. A Universidade de Lisboa é uma instituição pública que oferece mais de 1500 vagas destinadas a estudantes internacionais.