Dica cultural: Obras para refletir a influência das redes sociais na sociedade

Veja nossas sugestões de filmes, documentários e séries que nos ajudam a refletir sobre o papel e a influência que as mídias sociais exercem na vida de toda a sociedade. Aproveite o fim de semana para maratonar e ficar por dentro! 

Em primeiro lugar, começamos com o mais recente lançamento da Netflix sobre o assunto: O documentário O Dilema das Redes traz falas de ex-funcionários de grandes empresas da área de tecnologia e redes sociais. Seu objetivo principal é fazer a reflexão sobre o uso aparentemente inocente das redes sociais, mas que pode promover diversos problemas individuais e até mesmo sociais. A obra, bem produzida, mostra a complexidade do assunto, mesmo que de uma maneira didática e de fácil entendimento.

O filme O show de Truman, que inclusive foi citado no documentário O Dilema das Redes, também promove reflexões e debates e merece ser visto. Truman (Interpretado por Jim Carrey) é um vendedor de seguros que descobre que nada em sua vida é real e que está sendo monitorado e transmitido em rede nacional, em um reality. É interessante perceber que, 20 anos depois de lançado, O Show de Truman se torna realidade. As redes sociais promovem um exposição pessoal voluntária e os reality shows conhecidos acompanham a rotina diária dos confinados.

1984: O domínio sobre a história, um filme baseado na obra de George Orwell, narra a história de um funcionário do Ministério da Verdade que está inserido em um sistema burocrático que tira todos os sentimentos e desejos em prol de um bem comum: o partido e seus ideais. Para controlar a sociedade, existe o Grande Irmão (Big Brother – qualquer semelhança não é mera coincidência) que vigia todos os cidadãos e os controla para que não corrompam o sistema.

Outro documentário da Netflix que merece ser assistido é o Privacidade Hackeada. A obra busca esclarecer escândalos da empresa Cambrigde Analytica, que foi acusada de utilizar dados de milhões de usuários da rede social Facebook, em benefício de Donald Trump e sua campanha eleitoral nos Estados Unidos, em 2016.

Privacidade Hackeada nos faz pensar em como nossos dados estão registrados nos aparelhos eletrônicos e como são utilizados por diversas empresas. Quando nos perguntamos se entregaríamos nossos dados tão facilmente, basta lembrar dos diversos “Termos de Condições e Uso” que aceitamos sem ler, fazendo com que  diversos aplicativos e redes sociais os utilizem em benefício próprio.

Por fim, indicamos a série Black Mirror, especialmente os primeiros episódios da 1ª e 3ª temporada: Hino Nacional e Queda Livre, respectivamente. Estes episódios nos fazem refletir sobre a invasão das redes sociais em nossas vidas e como podem mostrar uma perfeição que jamais será possível na vida real. Esta e todas as outras obras aqui citadas são essenciais para jovens e adultos que buscam entender a influência da mídia e redes sociais na vida de cada um.

A robótica auxilia o ensino de física e o deixa mais dinâmico

As disciplinas da área de exatas costumam ser o grande medo dos estudantes. O pré-conceito e o bloqueio para estas aulas pode ser explicado por diversos fatores como a falta de explicação sobre a prática no dia a dia dos conceitos estudados, falta de criatividade ao ministrar os conteúdos e reprodução involuntária da opinião de outras pessoas. 

A tecnologia, e mais precisamente a robótica, pode ser uma grande aliada para estimular o interesse dos alunos e diminuir a tensão durante as aulas destas disciplinas.

Os benefícios da robótica vão além da ludicidade. Com elas, o aluno consegue ter uma maior noção sobre os problemas que terá que resolver no dia a dia, de modo objetivo. Além disso, a robótica também trabalha a questão da disciplina e organização, aumentando a capacidade de raciocínio lógico e análise de problemas.

Com metodologias ativas de aprendizado, os alunos se sentem mais engajados e motivados a estudar e passam, inclusive, a participar mais das aulas, transformando esse ambiente e deixando-o bem mais interativo.

4 serviços de compartilhamento de arquivos online

O compartilhamento de arquivos online se tornou muito mais fácil e rápido nos dias de hoje, com a ajuda de sites voltados para esta finalidade. Os chamados sites de compartilhamento são úteis para enviar desde fotos e vídeos até documentos mais pesados e pode ser usado profissionalmente, na escola ou para alguma necessidade pessoal. 

Listamos aqui alguns dos mais conhecidos serviços de compartilhamento, veja só: 

– We transfer: Programa gratuito e não precisa de cadastro, apenas requer o e-mail do remetente e do destinatário do documento. Suporta 2GB por upload. 

– Dropbox: Você pode salvar arquivos, documentos, músicas e fotos, além de criar subpastas e compartilhá-las com os seus amigos. Em seu registro grátis, suporta até 2GB de documentos.

– Microsoft OneDrive: Serviço de armazenamento em nuvem da Microsoft, com até 5GB de suporte em seu registro grátis. Para acessar, basta ter um email da Microsoft.

– Google Drive: Talvez o mais completo serviço da lista, oferece 15GB gratuitos e permite, entre outras ações, edição de arquivos simultânea por mais de uma pessoa, edição de arquivos e armazenamento em nuvem. 

Já utiliza estes programas ou conhece outro serviço de compartilhamento de arquivos online? Comente suas dicas! 

Estudar com música ajuda na concentração

Estudar em casa pode ser um desafio para muitos. Conversas paralelas, televisão ligada e latidos de cachorro são alguns dos culpados pela perda de foco de estudantes de todo o mundo. Para contornar essa situação, uma saída é ouvir música, com fones de ouvido, a fim de abafar os ruídos externos. O que muitos pensam é que a música também pode atrapalhar a concentração e aqui estamos para dizer que não. Inclusive é uma forte aliada, veja só:

Uma pesquisa britânica, realizada pelo aplicativo de música mais famoso, Spotify, mostrou que os estudantes que ouviam música clássica durante os estudos tiveram uma média de desempenho 12% melhor em provas de matemática. Para os pesquisadores, a música favorece um estado mais relaxado do cérebro, mas, ao mesmo tempo, também mais alerta, o que favorece a concentração.

Entretanto, é importante dizer que músicas cantadas, principalmente se forem em seu idioma, realmente tiram sua atenção. Isso porque você fica atento às palavras e acaba cantando junto, utilizando uma parte do cérebro.

Sendo assim, as músicas clássicas são as mais recomendadas para auxiliar nos estudos. Como explica a psicóloga Emma Gray, em entrevista para o jornal britânico Metro: “A melodia e a escala tonal em músicas clássicas, como ‘Fur Elise’ de Beethoven (60-70 batidas por minuto), ajuda os alunos a estudarem por mais tempo e a reterem mais informação”. Músicas nessa escala induz a um estado de relaxamento em que a mente está calma, mas alerta. A imaginação é estimulada e a concentração ampliada. Isso é o que melhora o aprendizado.”

Caso as músicas clássicas não te agradem, fique tranquilo. Existem várias playlists, com outras músicas instrumentais e até mesmo sons da natureza, que podem ser tão benéficas quanto. É só procurar e aproveitar os estudos!

 

Fontes:

– CERIZZE, Bárbara. Estudar ouvindo música: ajuda ou atrapalha?: Venha entender se estudar ouvindo música aumenta ou diminui sua eficiência.. [S. l.], 20 set. 2019. Disponível em: https://blog.enem.com.br/estudar-ouvindo-musica-ajuda-ou-atrapalha/. Acesso em: 20 jul. 2020.

– UOL. Escutar música durante estudo melhora aprendizado, aponta pesquisa. São Paulo, 2013. Disponível em: https://educacao.uol.com.br/noticias/2013/09/16/escutar-musica-durante-estudo-melhora-aprendizado-aponta-pesquisa.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

Alimentação infantil na quarentena. Como manter saudável?

Manter uma rotina de alimentação saudável é importante, principalmente nos primeiros anos de vida. A criança que se alimenta bem cresce saudável, com maior desempenho escolar, desenvolvimento social e força corporal. Porém, sabemos que construir um bom padrão nutricional é difícil e requer, principalmente, persistência e criatividade.

Essa importância aumenta ainda mais durante o período de distanciamento social. Para manter o sistema imunológico fortalecido e prevenir, entre outros, a obesidade infantil, é interessante criar uma rotina, evitando comer produtos industrializados como biscoitos, salgadinhos e massas.

Mas como criar o hábito saudável, já que os produtos industrializados são de fácil acesso, rápidos e mais gostosos e chamativos? Veja algumas dicas que podem ajudar nos cuidados com a alimentação infantil, principalmente durante a quarentena: 

– Crie uma rotina de alimentação, com horários definidos. Isso reduz o risco de “beliscar” algum lanche ou doce durante as refeições.

– Deixe frutas prontas para o consumo e à vista das crianças. Estes alimentos podem ser oferecidos durante o café da manhã, café da tarde ou, até mesmo, como sobremesa. 

– Convide as crianças a participarem do preparo da comida. Use este momento para mostrar como são preparados os alimentos e deixe que as crianças também auxiliem na cozinha.

– Invente novos cardápios e seja criativo na montagem do prato. Ofereça os alimentos preferidos da criança junto com outros que ela não conhece ou rejeita e use a criatividade para montar pratos coloridos, formando paisagens, rostos e até animais.

A educação alimentar é um aprendizado gradativo e deve começar em casa, com o auxílio de pais e responsáveis. Veja a pirâmide alimentar a seguir, com os tipos de alimentos que devem ser ingeridos em maior ou menor quantidade. 

Fonte: Hospital Infantil Sabará (2017)

 

Fonte: RIBEIRO, Maiara. Cuidados com a alimentação das crianças durante a quarentena. [S. l.], 2020. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/alimentacao/cuidados-com-a-alimentacao-das-criancas-durante-a-quarentena/. Acesso em: 8 jul. 2020.

ESCOLA DE INTELIGÊNCIA. Alimentação infantil: qual a importância da educação alimentar?. [S. l.], 14 mar. 2020. Disponível em: https://escoladainteligencia.com.br/alimentacao-infantil-qual-a-importancia-da-educacao-alimentar/. Acesso em: 8 jul. 2020.

Dicas de estudo em casa

Estudar em casa, devido ao distanciamento social, está sendo um desafio para os estudantes de todo o mundo. Adaptar-se à uma nova rotina, mudar hábitos e adequar-se ao ambiente virtual foram exigências provocadas de maneira muito rápida e sem aviso. Para continuar alcançando bons resultados, siga algumas dicas que podem ser muito importantes e úteis para você:

– Escolha um local de estudo: o melhor lugar de estudo é aquele bem arejado, iluminado e silencioso, para manter o foco e a concentração. Além disso, mantenha os equipamentos necessários e objetos como caneta e papel sempre por perto.

– Mantenha uma rotina: estabeleça horários fixos de estudo, refeição e descanso. Manter o cronograma faz com que suas atividades se tornem mais eficientes e você evita a procrastinação. 

– Afaste-se das distrações: evite entrar em redes sociais enquanto estuda e mantenha o celular o mais distante possível. Em um local cheio de distrações é mais difícil manter a concentração e você vai acabar perdendo a vontade de estudar. Afinal, aquela série que acabou de lançar sempre vai parecer mais interessante do que as aulas de matemática.

– Reserve um tempo para o descanso: o equilíbrio entre o aprendizado e o lazer é fundamental para que os dias sejam mais proveitosos. Ao adotar o hábito de pausas e descanso, você perceberá que a assimilação de conteúdos fica mais proveitosa e rápida. 

 

Fonte: PESSOA, Giovanna. Como estudar em casa? Veja 8 dicas valiosas!. [S. l.], 18 mar. 2020. Disponível em: https://www.stoodi.com.br/blog/2020/03/18/como-estudar-em-casa/. Acesso em: 26 jun. 2020.

 

Os benefícios da atividade física para a saúde mental

É de conhecimento geral que a prática de exercícios físicos auxilia na prevenção de doenças como obesidade e problemas cardíacos. O que poucas pessoas sabem, ou pouco acreditam, é que a prática constante de atividades físicas também é muito importante para a saúde mental. 

Principalmente durante o período de distanciamento social, em que ficamos mais parados devido a necessidade de ficar em casa no maior tempo possível, torna-se um grande aliado. Ou seja, contribui tanto para o bem-estar físico quanto para a disposição na realização de tarefas e na diminuição do estresse e ansiedade.

Devido à quarentena não é aconselhável sair ou ir à academias, já que a possibilidade de transmissão e contaminação por coronavírus existe e é grande. Então, mesmo em casa, é possível realizar as atividades, sempre praticando com cuidado para evitar problemas posturais, por exemplo.

Porém, é preciso manter uma rotina de cuidados pessoais para que a atividade física ganhe ainda mais valor e sensação de bem-estar. Para isso, além da rotina de exercícios, mantenha uma alimentação adequada, um sono regulado e dedique um tempo para ficar com a família. 

As práticas de exercício físico, dar risada e relembrar bons momentos produzem a endorfina, conhecida como hormônio da alegria. Essa substância natural, quando liberada, reduz o estresse e a ansiedade, melhora o humor e relaxa a mente e o corpo.

No gráfico abaixo, produzido pelo Hospital Santa Mônica, podemos identificar muitos outros benefícios como o aumento do poder intelectual e a melhora da memória, veja só: 

Fonte: Hospital Santa Mônica, 2017

Agora que você já sabe a importância de cuidar de sua saúde física e mental, está na hora de começar a praticar. O Colégio ICJ possui alguns vídeos da equipe de Educação Física, que auxiliam em alguns exercícios. Basta entrar em nossas redes sociais Facebook e Instagram para ter acesso.

 

Fonte: GYMPASS. A importância da atividade física para a saúde física e mental. [S. l.], 2020. Disponível em: https://news.gympass.com/atividade-fisica-para-saude-fisica-e-mental/. Acesso em: 25 jun. 2020.

 

Dúvidas na área pedagógica – perguntas e respostas

O Colégio ICJ elaborou essa série de perguntas e respostas objetivando esclarecer às famílias quanto aos aspectos pedagógicos nesse período de suspensão das atividades presenciais:

1 – Por que o colégio optou por dar aulas remotas?

Os objetivos das atividades não presenciais são:

  • Buscar o melhor aproveitamento do ano letivo;
  • Reduzir os danos causados pela suspensão das aulas presenciais;
  • Manter ativo o processo de ensino-aprendizagem dos alunos;
  • Minimizar os impactos na compensação do calendário escolar;
  • Cumprir o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais firmado com as famílias.

 

2 – Atividades não presenciais é o mesmo que EAD – Ensino à distância?

Ensino à Distância – EAD é diferente de atividades não presenciais. EAD exige autorização dos órgãos competentes e é regulado por uma legislação específica, bem como uma Plataforma Específica para aulas online ministradas por um professor (não necessariamente o mesmo professor em horários diversos), videoaulas, retorno de atividades simultâneas, avaliações programadas, chamadas diárias, etc.   Em nenhuma comunicação nos referimos ao ensino à distância para qualquer um dos segmentos.

As atividades não presenciais são ministradas, em sua maioria, no mesmo horário convencional da aula presencial e pelos próprios professores da disciplina, usando recursos tecnológicos, onde o grande objetivo é aproximar o estudante da sua rotina educativa.

 

3 – As atividades não presenciais são válidas legalmente?

Sim. Esta medida está amparada no Capítulo II do Decreto nº9057, de 25 de março de 2017, que trata da oferta de cursos na modalidade à distância na educação básica.

Em todo Brasil há autorização formal para que as aulas não presenciais sejam contabilizadas como dias letivos. O governo federal determinou que as escolas de Educação Básica poderão distribuir a carga horária em um período diferente do previsto em lei. Para a Educação Básica, isso significa que será preciso cumprir as 800 horas, mas não será necessário cumprir os 200 dias letivos previstos. A Carga Horária é definida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDBE.

Essa flexibilização, em caráter excepcional, vale tão e somente em função das medidas para o período do enfrentamento da emergência na saúde pública decretada pelo Congresso Nacional.

 

4 – O contrato de prestação de serviços educacionais será cumprido integralmente quando houver o retorno das aulas presenciais?

Sim. O Colégio ICJ prestará o serviço educacional de acordo com os órgãos reguladores, assim como seu compromisso com a qualidade do ensino prestado.

O Calendário Escolar seguirá a norma das 800 horas estabelecidas por lei contadas da carga horária de aulas presenciais e não presenciais durante o ano letivo de 2020 e de acordo com a prerrogativa do percentual de carga horária das aulas e atividades não presenciais para cada segmento da educação básica.

A priori, os órgãos reguladores educacionais apontam que no Ensino Fundamental as escolas podem considerar 20% da carga horária não presencial como dia letivo e no Ensino Médio essa carga pode chegar até 40%.

Os Novos Calendários ICJ por Segmento Educacional serão estruturados e divulgados oportunamente, mediante a confirmação dos órgãos públicos da abertura das escolas, mas podemos antecipar que na reposição poderão ser utilizados sábados letivos, feriados e emendas de feriados, avanço no mês de dezembro e, se necessário, avanço também em janeiro/2021.

 

5 – As atividades e aulas remotas serão contabilizadas para ser abatidas na reposição do futuro calendário de aulas presenciais?

Sim. Os órgãos reguladores educacionais autorizam que no Ensino Fundamental as escolas podem considerar 20% da carga horária não presencial como dia letivo. No Ensino Médio essa carga pode chegar até 40% como dia letivo cumprido no calendário de reposição.

 

6 – A qualidade das atividades não presenciais é igual das aulas presenciais?

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) admite que os sistemas de ensino estaduais, municipais e particulares, coordenados pelas secretarias de Educação e pelos conselhos estaduais e municipais de educação podem, em situações emergenciais (como a que estamos passando com a COVID-19), autorizar a realização de atividades não presenciais no Ensino Fundamental como complementação da aprendizagem.

A qualidade não é a mesma, pois nossos estudantes estão acostumados com o controle e organização do ritmo escolar ditado pelo professor-mediador mas, sem dúvida, as aulas remotas dão segurança e continuidade à rotina educativa.

 

7 – Está sendo registrada e contabilizada a presença do aluno nas aulas remotas?

Sim. Os professores, juntamente com as coordenadoras, estão registrando as presenças dos alunos durante as aulas não presenciais com o objetivo de garantir a participação efetiva dos estudantes, bem como para comprovação junto ao Conselho Estadual de Educação (CEE) da carga horária trabalhada no período das aulas e atividades não presenciais.

 A lista dos alunos faltosos está sendo encaminhada para as respectivas famílias pelo Serviço de Orientação Educacional – SOE para tomar conhecimento dos motivos que impedem o comparecimento do aluno nas aulas não presenciais.

 

8 – A realização das atividades e participação dos alunos nas atividades não presencias está sendo registrada e contabilizada? Vale nota? Quanto?

Sim. Estão sendo registradas e avaliadas de forma qualitativa:  a participação, o envolvimento, a dedicação de cada estudante neste período de aulas e atividades não presenciais. Esta etapa vai ser valorizada em 10 (dez) pontos.

 

9 – Como serão registradas as notas dos alunos das atividades realizadas no período de aulas remotas?

Como uma única nota de Participação de Aulas e Atividades Não Presenciais.

Nas turmas do Ensino Médio, principalmente 2ª e 3ª Séries, os estudantes estão seguindo uma rotina mais própria para a fase educativa que se encontram, realizando simulados e atividades avaliativas.

 

10 – Estão sendo ministrados conteúdos novos? Ou é só revisão?

A prioridade é para revisão de conteúdo. As atividades escolares desenvolvidas nesse período foram planejadas e organizadas pelos professores juntamente com a coordenadora pedagógica com o propósito   de sustentação de requisitos básicos, principalmente nas turmas de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. É necessário buscar melhoria na interpretação, escrita e análise de textos, resolução de situações-problema, cálculo orais e escrito, os conceitos científicos, históricos e geográficos. É bom salientar que muitas vezes acontece um aprofundamento ou graduação das dificuldades e não uma estruturação de um novo conteúdo.

Para as turmas Fundamental II de 6º ao 9º Ano, revisão, aprofundamento de conteúdos e aplicação /de conceitos em novos conteúdos apresentados.

Para as turmas do Ensino Médio, além de revisão e aprofundamento, lançamento de novos conteúdos.

 

11 – E como fica a preparação dos alunos da 3ªserie EM, já que o ENEM não foi adiado até agora?

As provas do ENEM 2020 estão marcadas para 1º e 8 de novembro, desta forma a preparação de nossos estudantes da 3ª série do Ensino Médio segue um ritmo  revisional. Esclarecemos que a organização do Ensino Médio ICJ consta da apresentação de todo conteúdo novo até a 2ª série. Na 3ª série os conteúdos são aprofundados nas Unidades de Estudo/Área do Conhecimento mais relevantes conforme a cobrança dos conteúdos no ENEM.

Nos aspectos relativos à Redação, sabemos que esta compõe 1/3 da nota final, pois é valorizada em 1000 pontos. Assim o Projeto de Apoio no Laboratório de Redação será reorganizado e ampliado de duas para quatro aulas por semana, no retorno as aulas presenciais.

Também foram reorganizados os calendários de Simulados Bernoulli, intensificando os mesmos para os meses de julho, agosto, setembro e outubro. Entendemos que, além do conteúdo, é preciso deixar os futuros universitários vivenciarem o ambiente e o horário das provas no turno da tarde com duração de 5 horas e 30 minutos simulando as atividades do dia do ENEM.

Se outras necessidades forem detectadas no retorno das aulas presenciais serão organizadas as melhorias devidas.

 

12 – Os alunos que não podem participar das aulas remotas ou que não entregam as atividades ficarão prejudicados?

O estudante que não pode participar das atividades não presenciais, por motivos previamente apresentados pela família, analisados e aceitos como reais impedimentos pela Orientadora e Coordenadora Pedagógica, terá a oportunidade de participar do processo de reajustes no retorno das aulas presenciais.

Os ajustes pedagógicos individuais e coletivos, e de carga horária, serão adotados no retorno das aulas presenciais.

 

13 – Como serão tratados os alunos de inclusão?

Os alunos de inclusão já recebem a devida atenção individualizada que constam nas necessidades clínicas apresentadas pelos Relatórios dos Especialistas e as orientações pedagógicas contidas no PDI – Plano de Desenvolvimento Individual – construído pelo SOE, Coordenação Pedagógica e Professores.

Daremos continuidade ao PDI – bem como atendendo no período da avaliação diagnóstica as peculiaridades pedagógicas de cada caso de inclusão.

 

14 – No retorno das aulas presenciais será feita uma avaliação diagnóstica e também o nivelamento dos alunos?

Sim. Atividades avaliativas diagnósticas serão aplicadas para detectar as dificuldades e defasagens de aprendizagem individuais, por grupo, por turma e por série.

Para cobrir as possíveis lacunas existentes no processo de ensino-aprendizagem serão produzidos Planos de Desenvolvimento e/ou nivelamento para aqueles que necessitarem.

O compromisso da qualidade do ensino ofertado pelo ICJ está pautado no trabalho diagnóstico realizado no retorno das aulas presenciais com o objetivo de nivelar os conhecimentos apreendidos pelos estudantes no período do trabalho não presencial, desta forma o nivelamento poderá acontecer para toda uma turma, parte dela ou para pequenos grupos.

Informamos ainda que o Processo Avaliativo sofrerá alteração, tanto na quantidade de etapas letivas, quanto nas estratégias de avaliação, ou seja, vamos rever a porcentagem de pontos destinados para as avaliações individuais, trabalhos, atividades coletivas, etc. NÃO SE TRATA DE RELAXAR O PROCESSO AVALIATIVO ICJ MAS ADEQUÁ-LO AO MOMENTO PEDAGÓGICO.

 

15 – Como será a reposição das aulas de inglês que ficaram mais prejudicadas com o processo de aulas não presenciais?

O Colégio ICJ, como escola formadora de estudantes bilíngues, dará a mesma atenção para o Programa de Educação Bilíngue.  A reposição das aulas de inglês segue a mesma regra das demais disciplinas. Caso seja diagnosticado que é necessário realizar ajustes de conteúdo e/ou de carga horária, as metas dessa disciplina serão replanejadas, principalmente para as turmas do 1º e 2º períodos da Educação Infantil e para as turmas do 1º ao 4º Ano do Fundamental.

 

16 – Educação Infantil:

16.a – Como será a reposição das aulas da Educação Infantil no futuro?

A Educação Infantil é regulada pela SMEd – Secretaria Municipal de Educação, e esta, até o momento, não se pronunciou quanto à manutenção das atividades de forma remota, ainda assim, o Colégio ICJ definiu por manter esta modalidade em funcionamento, mesmo que a reposição destes dias seja definida posteriormente de forma integral.

Até o momento estamos considerando e organizando o calendário de retorno das aulas presenciais contando com a exigência da LDB das 800 horas anuais.

Dependendo do período de retorno faremos reposição utilizando sábados, feriados e emendas de feriados, bem como, se necessário, a ampliação da Carga Horária Diária.

 

16.b – Para que servem as atividades enviadas para os alunos da Educação Infantil agora?

As atividades têm por objetivo:

  • Buscar o melhor aproveitamento do ano letivo;
  • Reduzir os danos causados pela suspensão das aulas presenciais;
  • Manter ativo o processo de ensino-aprendizagem dos alunos;

O compromisso do Colégio ICJ, informado desde os primeiros comunicados, é reduzir os danos causados pela suspensão das aulas presenciais e manter ativo o processo de ensino-aprendizagem dos alunos. No caso específico dos alunos da Educação Infantil isso realiza-se por meio das atividades produzidas pelas professoras de cada turma e enviadas semanalmente por e-mail para os pais, assim como o encontro semanal das crianças com as professoras por meio de uma videoconferência da plataforma Zoom. Acreditamos que, desta forma, estamos contribuindo para que os alunos não percam o ritmo das atividades escolares e também não fiquem ociosos.

Práticas sustentáveis para um futuro melhor

A Sustentabilidade é o termo utilizado para ações que visam suprir necessidades humanas atuais, sem comprometer as futuras gerações. Sendo assim, propõe-se utilizar recursos naturais de forma consciente, para que se mantenham no futuro.

As escolas, por serem consideradas influenciadoras de opinião de crianças e adolescentes, devem se envolver nas necessidades do mundo atual, como os relacionados à sustentabilidade. Porém, é preciso haver, além da influência, uma coerência lógica entre discurso e prática.

O Colégio ICJ busca ser cada vez mais consciente em suas ações e coerente com os valores que transmite. Sendo assim, participa de projetos que diminuem o impacto negativo no meio ambiente, envolvendo alunos, equipe administrativa e pedagógica.

Possui, por exemplo, contrato com uma Fazenda Solar, pioneiras no Brasil no mercado de painéis fotovoltaicos. A empresa possui lotes de placas solares que geram energia elétrica, limpa e renovável, a partir do sol, além de economizar na conta de luz.

Outra ação que foi implementada é a captação e reaproveitamento da água de chuva, um recurso natural de nosso alcance. A escola possui uma estrutura composta por coletores de água, que a direcionam para um reservatório. É importante ressaltar que aproveitamento ocorre apenas para uso não potável, destinado à rega de jardins, lavagem de pátios e outros espaços.

A partir de fevereiro de 2020, toda a equipe administrativa e pedagógica fará a substituição dos copos descartáveis utilizados no ambiente de trabalho por canecas, individuais, de inox. Não serão consumidos e descartados no meio ambiente cerca de 82 mil copos plásticos por ano e o acúmulo desnecessário de lixo será evitado.

A ação mais recente do colégio é a utilização de tecido produzido a partir da reciclagem de garrafas PET, para a confecção das camisas de uso diário do novo uniforme escolar. A ideia é oferecer um produto ecologicamente correto e que evite usar produto virgem, que demora anos para se decompor na natureza. 50% do fio é reciclado, os outros 50% são de algodão. Essa mistura faz com que o uniforme não deixe o conforto de lado e mantenha a qualidade e durabilidade. Com essa iniciativa, cerca de 2000 garrafas PET serão retiradas do meio ambiente por ano.

O Colégio ICJ reitera sua preocupação com a sustentabilidade e faz questão de participar de projetos que ajudem o meio ambiente, para um futuro melhor.

Cultura Maker

A manutenção de um cotidiano escolar para estimular crianças e jovens a terem autonomia, a cuidarem de si mesmos e a se gostarem é fundamental e desafiador para educador e estudantes. A ”cultura maker” é um processo para aumentar o respeito à diversidade e contribuição para melhor elaboração da autoestima e autoconfiança.

A proposta tem sido implantada nas diversas áreas do conhecimento, em decorrência das mudanças estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incentivando os alunos do Ensino Fundamental ao Médio a participarem dos projetos de criação. O foco é os jovens entenderem que são capazes de consertar, construir e, principalmente, criar.

É cada vez mais necessária experimentação para tornar o aprendizado ainda mais significativo para o estudante e para a sociedade, desenvolvendo competências essenciais, como a criatividade, autonomia e empatia. A adoção desse processo por diversos colégios substitui parte das aulas teóricas por experimentais, estimulando os alunos a entenderem os aspectos que envolvem um processo de criação. A ”cultura maker” é uma maneira rica de solucionar alguns problemas enfrentados pela educação, como a desmotivação, o uso de técnicas consideradas antiquadas e a pouca relação do que se aprende na teoria com o cotidiano.

Já é tempo de acabar com o estigma que a sala de aula é um ambiente monótono. A ”cultura maker” no Colégio ICJ, por exemplo, é uma realidade e, recentemente uma das ações foi a criação dos novos uniformes para 2020. Os alunos se envolveram diretamente no processo de criação, pesquisa e desenvolvimento dos modelos que serão adotados a partir de 2020. O tema desse maker tem o interesse direto dos estudantes, pois trata-se da escolha da roupa que vão usar. Eles conversam em sala de aula para levantar ideias e sugestões sobre expressão gráfica e maneiras de se expressar com o vestuário, ampliando o conhecimento. A situação é o momento em que todos aprendem sobre diversos conceitos, como moda, indústria têxtil e indústria circular, matérias primas, revolução 4.0 e tecnologia.

Quando um estudante é incentivado a explorar sua criatividade, a buscar por novos conhecimentos, a autonomia é incentivada, cria-se uma independência rica, e o impacto disso é a democratização do conhecimento. A escola fica muito mais interessante quando se torna um ambiente colaborativo de aprendizagem, com maior interação entre os estudantes e professores no processo de ensino-aprendizagem, algo inerente à proposta das metodologias ativas de ensino.