Curso de lógica de programação

A Revolução Digital, iniciada no século XX, deu origem a uma nova era; a era da informação compartilhada. Diante da popularização da internet e das mídias sociais, a maioria das pessoas passou a dividir seu tempo entre o mundo on e off-line, mas poucas delas sabem o que está por trás da Tecnologia da Informação.

O professor de História do Colégio ICJ, Frederico Silva Perpetuo, que é apaixonado por tecnologia, percebeu essa lacuna no aprendizado dos alunos. Ele é proprietário fundador da empresa Matrix out, especializada em educação tecnológica de jovens e adolescentes, e atualmente está realizando uma graduação em Ciência da Computação pela Universidade FUMEC.

Segundo ele, o conhecimento do que está por trás da Tecnologia da Informação é essencial para garantir o desenvolvimento das habilidades de crianças e adolescentes, preparando-os para a vida social, pessoal e profissional. Para isso, é de grande relevância os alunos estudarem a programação de computadores que, em suas palavras, “nada mais é do que a escrita de códigos em uma linguagem específica, dotada de regras lógicas e sintáticas próprias, que tem por objetivo definir instruções para que os computadores realizem as mais diversas tarefas”.

Com o intuito de capacitar os estudantes a compreenderem as regras da programação e desenvolver o raciocínio lógico voltado para a resolução de problemas computacionais, a empresa Matrix out, em parceria com o ICJ, irá ofertar um curso de lógica de programação para alunos do 9º ano e Ensino Médio do Colégio. O curso contextualizará os estudantes acerca do momento histórico, social e cultural em que vivem e irá potencializar o desenvolvimento do raciocínio lógico, da organização, da habilidade de comunicação, da criatividade e da capacidade de lidar com situações adversas.

Haverá uma aula experimental amanhã, dia 23, às 13h, para que os alunos possam conhecer a estrutura das aulas. Os interessados em ingressar no curso, que tem duração de 8 meses, deverão efetuar a matrícula até o dia 31/08 na tesouraria do ICJ. As aulas terão início dia 06/09 e acontecerão todas as quartas-feiras, de 13h às 14h30. O valor da mensalidade consiste em oito parcelas de R$ 250,00 e, do material, em oito parcelas de R$ 20,00.

Não fique de fora dessa oportunidade!!!

Confira mais informações em: Projeto Matrix

A importância do bilinguismo

O mundo de hoje é caracterizado como plural e intercontinental, aspecto que impulsiona a necessidade da formação de indivíduos globais. Nesse contexto, emerge uma demanda considerada imprescindível para encarar este novo tempo: o domínio de uma ou mais línguas, além da língua materna.

No Colégio ICJ, estudantes do Ensino Médio, que já possuem esse diferencial, contam um pouquinho de suas histórias, vivências e opiniões.

Dara Carolina Ferreira Russo, aluna do 2º ano, acredita que aprender outro idioma é de extrema importância, especialmente na sociedade atual. Victória Regina, do 1° ano, explica que a importância de se tornar fluente em um ou mais idiomas decorre do fato de vivermos em um mundo integrado econômica, social, cultural e politicamente. Ela afirma que quem tem fluência em outros idiomas é beneficiado no mercado de trabalho e na vida com mais oportunidades e experiências. Gabriela Silva Medeiros, do 1º ano, diz que aprender uma segunda língua torna as pessoas livres para conhecerem novos lugares e culturas, abrindo as portas do mundo no lado profissional e pessoal. Rodrigo Maia, do 3º ano, concorda com o ponto de vista das colegas e enfatiza a importância da língua inglesa. Para ele, o inglês, considerado língua universal, é um pré-requisito para o mercado de trabalho.

O inglês é a língua oficial da contemporaneidade, fundamental nos negócios, estudos, viagens e na comunicação. O mundo não é mais do mesmo tamanho para quem não domina o inglês! A fluência nesse idioma é tão relevante que deixou de ser um diferencial na formação dos estudantes e passou a ser o mínimo exigido em seus currículos!

Rebeca Araújo De Melo Castro, do 2º ano, sentiu na pele essa mudança. Ela alcançou o nível avançado no inglês, mas não se conteve, e buscou se destacar em outras línguas. Hoje, ela também é fluente em espanhol e cursa francês. Gabriela Silva segue o mesmo caminho: fala com desenvoltura inglês e espanhol e agora dedica-se ao francês. Victória Regina não fica para trás, fluente em inglês, aprende atualmente francês, espanhol e coreano.

Um aspecto relevante nas falas dos alunos é a forte influência da cultura no processo de aprendizagem de outro idioma. Para a maioria, acompanhar filmes, séries e músicas foi um estímulo fundamental para desenvolver a oralidade, principalmente do inglês. Outros pilares que os auxiliaram foram as aulas de Inglês do Colégio e de Escolas de Idiomas, onde puderam aprofundar seus conhecimentos.

Esse cenário impulsionou a decisão do ICJ em aderir, em 2017, à Educação Bilíngue com o intuito de fornecer uma base consolidada de ensino da língua inglesa a partir de um modelo pedagógico no qual o idioma é inserido no contexto dos conteúdos curriculares.

Outro ponto de destaque nos depoimentos, que corrobora com a adesão da Educação Bilíngue no ICJ a partir da Educação Infantil, foi o fato de muitos dos alunos do Ensino Médio relatarem que o interesse pela língua estrangeira surgiu ainda quando eram crianças. Dara Carolina contou que estuda Inglês há quase dez anos e, desde muito nova, sempre se interessou por outras línguas, especialmente pela inglesa devido às músicas e filmes de que gostava. Rodrigo Gonçalves diz que também se interessou cedo por outras línguas e, quando era pequeno, já gostava de assistir a filmes legendados, sendo que sua curiosidade foi crescendo à medida que se deu conta da imensidão do mundo.

Não restam dúvidas sobre a importância de se formar alunos que dominem uma segunda língua, principalmente quando se trata do inglês. Esse é o propósito do ICJ ao trabalhar um modelo de ensino eficiente capaz de preparar os estudantes para múltiplas escolhas na vida e propiciar que se destaquem diante das imposições do mundo contemporâneo.

Olimpíada Brasileira de Robótica

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) é uma olimpíada científica brasileira que objetiva estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas, identificar novos talentosos e promover debates e avanços na área.

A OBR possui duas modalidades: a prática consiste em competições com robôs e a teórica baseia-se em provas aplicadas em todo o Brasil. Na edição deste ano, alunos do ICJ estão participando das duas modalidades.

As turmas do 9º ano e Ensino Médio ICJ realizaram as provas teóricas dos níveis 4 e 5, respectivamente. No 9º ano, os estudantes Lucas Machado Miranda e Júlia Mérece Lima Chaves se destacaram e ganharam medalhas de prata. Já no Ensino Médio, Alice Parreiras Campos, do 1º ano, e Henrique Pereira Cristófaro, do 2º, se classificaram para segunda fase da olimpíada.

A modalidade prática irá acontecer nos dias 19 e 20 deste mês, em São João Del Rey, e contará com a participação de 8 equipes ICJ, sendo 5 do 9º ano e 3 do Médio. Objetivando alcançar melhores resultados na competição, as equipes denominadas LSZ, AGJ, RTJ, UMBRELLA e The Access, participaram esta semana do “Torneio Interno preparatório para OBR”, realizado no próprio Colégio. A atividade contou com o apoio dos alunos fundadores da startup The Life Project e do assistente de Robótica, Pablo Carvalho. Segundo Pablo, “o intuito do Torneio Interno é a preparação dos alunos para Etapa Regional da Olimpíada Brasileira de Robótica. Dessa forma, eles vão para o torneio com uma pressão a menos, já entendendo como funciona o andamento da Etapa Regional. É uma experiência a mais para nossas equipes!” Agora, resta realizar os últimos ajustes e seguir para a Regional.

O Colégio parabeniza os alunos que obtiveram bons resultados nas provas e deseja boa sorte aos que ainda irão realizar as atividades da OBR!!!

Confira as imagens em https://flic.kr/s/aHsm6NBD5v

Alunos ICJ vão para 2ª etapa da OMQ

A Olimpíada Mineira de Química (OMQ) é uma competição regional de Química que tem como objetivo envolver professores e alunos em uma atividade estimulante que os levem a refletir sobre a importância da Química em suas vidas e na sociedade moderna. A Olimpíada também se preocupa em revelar jovens talentos com vocação para esta área, premiando-os e selecionando os representantes mineiros para o exame de seleção da Olimpíada Brasileira de Química.

No ICJ, a prova da OMQ foi aplicada dia 29 de junho para os alunos da professora de Química Cristina Cheib no 1º e 2º anos do Ensino Médio. Os estudantes que se destacaram na avaliação foram premiados em um momento cívico que ocorreu na abertura da SIMICJ, dia 05 de julho, no qual ganharam um certificado do Colégio declarando a classificação na primeira etapa. Com isso, garantiram a participação na segunda fase da Olimpíada, que acontecerá no campus da Universidade Federal de Minas Gerais, dia 23 de setembro, às 14h.  Os alunos classificados foram:

 

1º ano

1) Monique Emilly Belizário Faria

2) Alice P. Campos

3) Isadora Reis de Souza

4) Gabriela Silva Medeiros

5) Thomaz Rezende Pinto

6) Flora Machoresky Mendes Pinto

7) Gustavo Simões Oliveira

 

2º ano

1) Daniel Iata Kind

2) Rebeca Castro

3) Valéria Lamounier Lellis de Almeida

4) Ítalo Luiz Dias

5) Gabriel Mamede Simões Ferreira

 

O ICJ também participará da Olimpíada Brasileira de Química Júnior, ofertada aos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II. A primeira fase acontecerá no Colégio entre os dias 10 e 12 de agosto.

Boa sorte, pessoal!!!

 

A SIMICJ 2017 foi fantástica!!!

Na quarta-feira, dia 05 de julho, alunos do 9º ano (Ensino Fundamental II), 1º, 2º e 3º anos (Ensino Médio) participaram da SIMICJ, uma simulação realizada pelo Colégio ICJ contemplando debates sobre temas relevantes no cenário mundial.

O evento contou com uma cerimônia de abertura, debates dos Comitês e um lanche coletivo realizado no Ecoparque.

Para os debates, os alunos se dirigiram às salas previamente definidas de acordo com os comitês e suas devidas temáticas:

– OMS (Organização Mundial da Saúde) – Obesidade Infantil/Juvenil

– OIT (Organização Internacional do Comércio) – Combate à Escravidão Moderna

– ACNUR (Auto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) – Seis anos de Guerra na Síria

– UNSC (Conselho de Segurança das Nações Unidas) – Tensão nas Coreias

– PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) – Ratificação da Conferência de Paris

– IMPRENSA – responsável pela criação de jornais, vídeos, fotos, entrevistas e divulgação do evento.

Os estudantes se empenharam muito e incorporaram papéis de delegados, engajando-se na defesa dos interesses dos países escolhidos para representarem. As discussões foram muito produtivas e refletiram a ampliação do aprendizado dos alunos de uma forma dinâmica capaz de cativá-los.

E a SIMICJ 2017 contou com uma participação especial! Gabriel Henrique de Paula, ex-aluno do ICJ, que atualmente cursa Relações Internacionais na PUC Minas, veio ao Colégio para auxiliar nossos alunos.

Nossa SIMICJ rendeu bons frutos! Além de Gabriel, Brenda Agatha Borges da Silva e Igor Eduardo de Carvalho Parma, que também são ex-alunos do ICJ e escolheram cursar Relações Internacionais, atualmente participam da MiniONU da PUC.

Este ano eles se destacaram na MiniONU Preview, que ocorreu dia 24 de junho, e irão participar na 18º MiniOnu  como Diretores.

A MiniONU 2017 acontecerá em outubro e também terá a participação de 15 alunos do 9ºano e do Ensino Médio do ICJ.

Nossos meninos são um sucesso!

 

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHskZ7qs4k

Retrospectiva da Equipe de Robótica ICJ

A partir de muitos estudos e da visão de mundo da diretoria e da equipe pedagógica do Colégio ICJ, foram implementadas metodologias pioneiras e projetos pedagógicos de ponta que elevaram ainda mais a qualidade de ensino da instituição. Um bom exemplo é a nossa Robótica, que foi implantada em 2011 na grade curricular dos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e do 1º e 2º anos do Ensino Médio. Desde então, as Equipes de Robótica do ICJ alcançaram grandes resultados que extrapolaram os muros da escola, se destacando em competições na área e recebendo importantes premiações. Para relembrar tudo que já conquistaram, resolvemos fazer um compilado dos torneios que as equipes participaram nos últimos anos.

No ano de 2013, o ICJ foi premiado no I Torneio de Robótica Inspirar. A equipe do Ensino Médio conquistou o 1º lugar geral nesta categoria, ganhou um prêmio pela criação do melhor robô Sumô e outro pela Melhor Ideia. Já a equipe do Ensino Fundamental II conquistou o 3º lugar geral, além da Menção Honrosa.

Em 2014, a história da Robótica foi marcada por duas grandes competições. A equipe formada por alunas do 9° ano do Ensino Fundamental ficou com o 1º lugar na etapa regional da Olimpíada Brasileira de Robótica e encerrou a etapa nacional em 13° lugar.

Em novembro do mesmo ano, a equipe de robótica do ICJ conquistou o 1° lugar no II Torneio de Robótica Lego Inspirar e faturou o prêmio Destaque na categoria Agilidade.

Outra espetacular vitória ocorreu em setembro de 2015. Os alunos do Colégio participaram da etapa regional da Olimpíada Brasileira de Robótica e ganharam o 1º lugar do nível 1, referente ao Ensino Fundamental II, e 2º lugar do Nível 2, referente ao Ensino Médio. Outras equipes receberam os prêmios por melhor projeto de escola privada, premiação por elegância e premiação por dedicação.

Em 2016, o ICJ recebeu um troféu da Inspirar Soluções Educacionais pela excelente participação e conquistas na etapa Regional das Olimpíadas Brasileiras de Robótica. Nesta edição, a equipe “Humanoides” e o grupo “The Life Project” conquistaram medalhas de ouro nas modalidades 9º ano e Ensino Médio.

Por fim, em 2017, equipes do 9º ano e do Ensino Médio participaram da etapa regional do Torneio Juvenil de Robótica. Nossos alunos ganharam 1º, 2º e 3º lugares entre quatro categorias! Com isso, o ICJ se classificou para fase final, que acontecerá nos dias 25 e 26 de novembro, em São Luís do Maranhão.

Temos muito orgulhoso de nossos notáveis alunos! Muita coisa ainda está por vir nessa jornada de sucesso!!!

 

Dia D especial no ICJ

O 3º ano do Ensino Médio do ICJ, também conhecido por Terceirão, está a todo vapor nas celebrações de dia D! Toda quinta-feira, os alunos são liberados do uniforme e se fantasiam de acordo com o tema da semana. A diversão é garantida e o clima descontraído contagia a todos!

O dia D da semana passada, dia 29 de junho, foi especial. Além da temática junina, também teve um gostinho de despedida da nossa querida intercambista dinamarquesa, Julie Buus!

A ZoomVip está cobrindo todas essas comemorações e tem ótimas fotos! Para ver mais, acesse: http://zoomvip.com.br/?s=ICJ

Intercambistas no ICJ

O Colégio ICJ possui um convênio com o Rotary no qual recebe intercambistas de diferentes países.

O Rotary é uma organização que trabalha em prol de uma melhor qualidade de vida nas comunidades, de um elevado padrão de ética nas profissões e da paz e boa vontade no mundo. Atualmente, existem mais de 33 mil Rotary Clubs no mundo, cujos sócios, intitulados rotarianos, são líderes profissionais e empresariais que dedicam tempo e conhecimentos a serviço da humanidade.

O Intercâmbio de Jovens é um desses serviços, que oferece a milhares de estudantes a oportunidade de conhecerem outras sociedades, praticarem uma nova língua e fazerem amigos, além de atuarem como jovens embaixadores, ensinando as tradições culturais de seus países e contribuindo para um mundo mais unido.

O Intercâmbio de Jovens do Rotary está aberto a pessoas de 15 a 25 anos de idade de todo o mundo, com variados tipos de programas. O ICJ adere ao intercâmbio de longa duração, no qual o estudante estrangeiro frequenta o Colégio durante um ano letivo, morando com famílias anfitriãs.

Este ano, o ICJ está com duas alunas que optaram por fazer o intercâmbio cultural através do Rotary Club. Julie Buus Pedersen, de 18 anos, é dinamarquesa, da cidade de Hjorring. Ela veio em agosto de 2016 e ficará até julho deste ano. Julie é extrovertida, gosta de animais e tem a dança como sua paixão. Já Stephanie Dapue Joseph, 17 anos, chegou em fevereiro, vinda da cidade de Wewak, na Papua Nova Guiné, e vai ficar até novembro. Ela passa seu tempo livre cantando no karaokê, compondo canções e escutando músicas. Ambas foram incluídas nas turmas de Ensino Médio do Colégio como ouvintes, participando de todas as atividades, porém sem receberem notas.

Durante o processo, há um acompanhamento tanto por parte do Rotary quanto pelo Colégio, prezando pela segurança e integração das meninas. Em um primeiro momento, o ICJ destinou alunos veteranos da mesma faixa de idade das garotas, os “anjos da guarda”, para ambientá-las e ajudá-las a conhecerem a escola. Com o tempo, Julie se adaptou e enturmou com os demais alunos. Ela conseguiu aproveitar ao máximo as diversas possibilidades dessa incrível experiência e, inclusive, participou da SIMICJ! Stephanie vem seguindo o mesmo caminho, está amando o intercâmbio e em breve vai se juntar ao grupo de estudantes da MiniONU!

O Colégio ICJ possui um convênio com o Rotary no qual recebe intercambistas de diferentes países.

O Rotary é uma organização que trabalha em prol de uma melhor qualidade de vida nas comunidades, de um elevado padrão de ética nas profissões e da paz e boa vontade no mundo. Atualmente, existem mais de 33 mil Rotary Clubs no mundo, cujos sócios, intitulados rotarianos, são líderes profissionais e empresariais que dedicam tempo e conhecimentos a serviço da humanidade.

O Intercâmbio de Jovens é um desses serviços, que oferece a milhares de estudantes a oportunidade de conhecerem outras sociedades, praticarem uma nova língua e fazerem amigos, além de atuarem como jovens embaixadores, ensinando as tradições culturais de seus países e contribuindo para um mundo mais unido.

O Intercâmbio de Jovens do Rotary está aberto a pessoas de 15 a 25 anos de idade de todo o mundo, com variados tipos de programas. O ICJ adere ao intercâmbio de longa duração, no qual o estudante estrangeiro frequenta o Colégio durante um ano letivo, morando com famílias anfitriãs.

Este ano, o ICJ está com duas alunas que optaram por fazer o intercâmbio cultural através do Rotary Club. Julie Buus Pedersen, de 18 anos, é dinamarquesa, da cidade de Hjorring. Ela veio em agosto de 2016 e ficará até julho deste ano. Julie é extrovertida, gosta de animais e tem a dança como sua paixão. Já Stephanie Dapue Joseph, 17 anos, chegou em fevereiro, vinda da cidade de Wewak, na Papua Nova Guiné, e vai ficar até novembro. Ela passa seu tempo livre cantando no karaokê, compondo canções e escutando músicas. Ambas foram incluídas nas turmas de Ensino Médio do Colégio como ouvintes, participando de todas as atividades, porém sem receberem notas.

Durante o processo, há um acompanhamento tanto por parte do Rotary quanto pelo Colégio, prezando pela segurança e integração das meninas. Em um primeiro momento, o ICJ destinou alunos veteranos da mesma faixa de idade das garotas, os “anjos da guarda”, para ambientá-las e ajudá-las a conhecerem a escola. Com o tempo, Julie se adaptou e enturmou com os demais alunos. Ela conseguiu aproveitar ao máximo as diversas possibilidades dessa incrível experiência e, inclusive, participou da SIMICJ! Stephanie vem seguindo o mesmo caminho, está amando o intercâmbio e em breve vai se juntar ao grupo de estudantes da MiniONU!

Para conferir a galeria de fotos, acesse: https://flic.kr/s/aHskYZcUtk 

SIMICJ

A SIMICJ é uma simulação realizada pelo Colégio ICJ na qual os alunos do 9º ano (Ensino Fundamental II), 1º, 2º e 3º anos (Ensino Médio) realizam debates sobre temas relevantes no contexto mundial.

Os estudantes, que participam com seriedade e compromisso, constituem comitês que defendem os interesses do país que escolhem para representar. O projeto possibilita que os jovens apliquem os conhecimentos adquiridos em sua trajetória estudantil e alcancem novos aprendizados, estimulando uma consciência política e social.

Em 2017, a SIMICJ será realizada no dia 05 de julho, das 7h10 às 12h30, nas salas de aula do Ensino Médio do Colégio ICJ, e contará com 6 comitês compostos por estudantes e professores. Os responsáveis pela organização serão o professor de Geografia Alvacir Evaristo juntamente com a Comissão Organizadora, integrada pelos alunos João Guerra Limões, Gabriel Mamede, Gabriel Santos e Maria Victória.

A escolha dos temas partiu das sugestões dos alunos envolvidos no projeto, pautando-se em uma votação coletiva para definição dos 5 assuntos que serão debatidos este ano. São eles:

  • OMS – Obesidade Infantil/Juvenil.
  • OIT – Combate à Escravidão Moderna.
  • ACNUR – Seis anos de Guerra na Síria.
  • UNSC (Inglês) – Tensão nas Coreias.
  • PNUMA – Ratificação da Conferência de Paris.

Haverá também o Comitê de Imprensa, responsável pela confecção de jornais, vídeos, fotos, entrevistas e divulgação do evento. Para o encerramento, será realizada uma confraternização com todos os participantes, inclusive os convidados.

Confiram o vídeo produzido pelos alunos na SIMICJ de 2016:

Canal The Life Project no Youtube

Um dos desdobramentos da startup The Life Project, criada por alunos do ICJ, é um canal no Youtube comandado por Gabriel Morais e Marcelo Vasconcelos, dois dos fundadores da empresa.

Os meninos se propuseram a gravar vídeos nos quais abordam assuntos que estão sendo discutidos em sala de aula. O objetivo é contextualizar a matéria ministrada pelo professor, explicando suas aplicações práticas.

Dessa forma, criam maior empatia dos estudantes com a disciplina, promovendo o aprendizado de forma mais fácil e dinâmica.

O vídeo abaixo, primeiro vídeo produzido pela dupla, fornece apoio às aulas de Matemática da professora Sônia Carla. O tema discutido é corrida de arrancada, com foco nos dragsters. O próximo vídeo será sobre braço robótico. Já estamos ansiosos!!!