Manifesto do SINEP MG

Reproduzimos abaixo o manifesto do presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (SINEP MG) referente à divulgação de rankings de escolas a partir dos resultados do Enem.

 

SINEP/MG repudia “rankings” entre escolas através de notas do Enem

O SINEP/MG, através de seu presidente, prof. Emiro Barbini, vem a público repudiar as tentativas de se criar rankings de escolas a partir dos resultados do Enem em 2017.

Embora o MEC, neste ano, tenha decidido não mais divulgar as notas das escolas no Exame, diversos colégios e empresas de consultorias passaram a calcular suas próprias médias, manipulando o resultado conforme seus interesses.

Há vários anos, especialistas e educadores criticam os rankings elaborados através da nota do Enem, uma vez que o exame em si não tem a função e muito menos a capacidade de avaliar a qualidade das instituições.

A divulgação do resultado do Enem tem criado um ambiente muito mais publicitário do que educativo.

Sabe-se, há alguns anos, que diversas instituições inscrevem um número pequeno de alunos em um outro CNPJ para conseguir posições mais elevadas nas notas finais, o que torna o ambiente desleal e competitivo entre escolas.

Diversos destes “rankings” divulgados em 2017 não levam em conta, por exemplo, o método da Teoria de Resposta ao Item (TRI), um sistema utilizado pelo MEC capaz de analisar as questões respondidas corretamente com um peso específico para cada acerto.

Além do mais, pela complexidade que se dá todo o sistema da Educação Básica na formação de um indivíduo, desde os primeiros anos da Educação Infantil até os últimos anos do Ensino Médio, é impossível avaliar a qualidade da escola através de um teste único, aplicado apenas uma vez ao ano, como o Enem.

Sabemos que o Enem é a ferramenta que permite o ingresso na maioria das universidades brasileiras.

Sabemos que ela é importante e que, apesar dos erros e falhas, deve ser mantida e aperfeiçoada.

No entanto, não é ético, responsável e, sobretudo, educativo, utilizar os dados disponibilizados pelo Inep para fazer propaganda de instituições de ensino.

Equipe ICJ em palestra da ACMinas

No dia 29/11, colaboradores e alunos do Colégio ICJ compareceram à palestra “A força das mulheres no empreendedorismo tecnológico”, ministrada por Ciranda de Morais na ACMinas.

O evento girou entorno da revolução advinda com a era digital e da maneira como vivemos e fazemos conexões. A palestrante enfatizou que o mundo está cada vez mais conectado e que as formas tradicionais de fazer negócios já não são suficientes, demandando soluções mais criativas e inovadoras.

Entre os presentes, estavam a Presidente do Conselho da Mulher Empreendedora da ACMinas e Diretora de Ensino do ICJ Christina Fabel, a Diretora Pedagógica do ICJ Aparecida Nicolai, o técnico de informática Denilson Barbosa, o estagiário do Ensino Médio Ângelo Cardoso, o orientador de Robótica Pablo Carvalho e os alunos Gabriel Morais e Matheus Ribeiro.

Pablo Carvalho e os alunos encontraram no evento uma oportunidade para ampliarem os conhecimentos sobre empreendedorismo tecnológico, buscando novas experiências e uma perspectiva diferente para consolidarem a empresa de Educação Tecnológica para Jovens, que estão estruturando como desdobramento da startup The Life Project.

Foi uma palestra que agregou muito a todos os convidados e, principalmente, aos novos jovens empreendedores!

Mostra de Artes da Educação Infantil

No dia 25/11, sábado, aconteceu no ICJ a Mostra de Artes da Educação Infantil. Os alunos expuseram para os familiares e demais colegas o resultado do trabalho que vem sendo desenvolvido ao decorrer do ano com o projeto Crianças de Todo o Mundo.

Cada turma organizou exposições com o que havia produzido nas aulas e decorou a sala com aspectos típicos das localidades estudadas.

O Maternal II, com o auxílio das professoras, confeccionou, com material reciclado, um forno de papelão recoberto com barro, uma gôndula, a Torre de Pisa e enfeites com caixas de pizza em referência à Itália.

Já o Maternal III, que estudou o Japão, decorou a sala com um tatame, um dragão japonês, peças de origami e os robôs cedidos por Pablo, orientador de Robótica do Colégio. A outra turminha de Maternal III realizou a exposição com a temática da Austrália, contando com um criativo painel sobre barreira de corais, mascotes confeccionados pelas famílias e a degustação do pão australiano damper.

O 1º período, que abordou a Índia, produziu colares, pulseiras e sandálias indianas, uma representação do Tuk Tuk e um delicioso biscoito indiano. E com a professora de Inglês, trouxeram para dentro de sala o clima dos Estados Unidos, mais especificamente de Nova Iorque, com pontos turísticos como a Estátua da Liberdade, Wall Street, Central Park, Brodway e Times Square.

O 2º período que expôs sobre a África apresentou a vida selvagem do continente a partir de representações de animais como leão, elefante, girafa, macacos e rinocerontes, além de almofadas e quadros decorados com a imagem de tais bichos. Com a proposta das aulas de Inglês, abordaram a Inglaterra, com ênfase em Londres e suas peculiaridades: o Big Bang, a Torre de Londres, os guardas da rainha e a hora do chá. A turminha da manhã, por sua vez, retratou o Polo Sul e transformou a sala com uma simulação de neve, um trenó, pinguins e bonecos de neve!

Confira a galeria de fotos: https://flic.kr/s/aHsmb3QVDR